PSD perde chance de mostrar força da oposição

O mais novo partido de Ribeirão Pires e que já é maioria na Câmara, o PSD de Koiti Takaki, perdeu a primeira oportunidade de mostrar sua força de oposição. Durante a sessão da Câmara desta terça-feira, dia 11, nenhum membro do novo partido foi contrário ao projeto do Executivo que altera de R$ 239 para R$ 578 a multa sobre a falta de licenciamento e alvará em estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviço.

O clima era favorável para a oposição. Mesmo sendo da base governista, o vereador José Vicente de Abreu, o Vicentinho (PR) defendeu o adiamento do projeto. Quando a proposta de adiamento foi para votação, os vereadores do PSD, Gerson Constantino, Koiti Takaki e José Nelson foram favoráveis, com o apoio de Vicentinho, Saulo Benevides (PMDB) e João Lessa (PSDB). Como não foi atingida a maioria dos votos, a proposta não pode ser adiada, sendo colocada para votação em seguida.

Foi neste momento que o PSD abandonou sua oportunidade de mostrar a força de sua “oposição inteligente”. Quando a proposta entrou na votação para ser aprovada, apenas Saulo e Vicentinho mantiveram a posição contrária, justificando o voto com a necessidade de mais discussão. A bancada “PSDista” recuou e foi favorável a aprovação do projeto.

Caso os vereadores do partido tivessem mantido a mesma posição anterior, o PSD revelaria ser uma legenda de unidade determinada a fazer frente a qualquer imposição do Executivo. Assim, onde antes apenas se via dois nomes fazendo oposição (Saulo e Koiti), poderia ter sido observado a ação mais intensa dos novos nomes (Gerson e Zé Nelson).

O que se espera agora da nova sigla é que em futuros projetos mais polêmicos, os vereadores assumam uma postura austera, mostrando à bancada governista que a quantidade de vereadores “coroinhas” diminuiu, e com isso também os “améns”.

Compartilhe