PSD de Ribeirão Pires descarta possibilidade de filiação de Volpi

Na tarde desta última terça-feira, após os trabalhos da Câmara, os vereadores do PSD – Koiti Takaki, Gerson Constantino e José Nelson – se reuniram com o vereador José Police Neto, presidente da Câmara de São Paulo, para conversar sobre a estrutura do partido e os possíveis direcionamentos que a legenda pode tomar no decorrer do ano eleitoral. Nossa reportagem acompanhou, com exclusividade, a conversa entre os sociais-democráticos e, ao contrário do que foi publicado em um periódico local e outro regional, o clima dentro do PSD de Ribeirão Pires caminha a passos largos rumo ao fortalecimento do grupo político de oposição.

Police Neto, Presidente da Câmara Municipal de São Paulo, e um dos expoentes do PSD, acompanhou a sessão da Câmara de Ribeirão Pires na última terça-feira

Em entrevista exclusiva ao Mais Notícias, Police Neto comentou sobre o boato de que o prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PV) estaria articulando com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), para que este possibilitasse a migração de Volpi para o lado Social-Democrático. “Como personagem público é seu dever dialogar”, expôs Police Neto referindo-se ao fato de Kassab abrir espaço para uma negociação com Volpi. Para ele, “o prefeito de São Paulo tem o dever de receber qualquer pessoa, em especial outro prefeito, que o procure para uma conversação”.
Segundo José Police Neto, até mesmo o Partido dos Trabalhadores tem mostrado interesse pelo partido. “Não precisamos de nenhuma aliança com o PT para ganhar, embora seja uma boa parceria”, enfatizou o vereador.
Os vereadores do PSD de Ribeirão Pires foram orientados a também conversar com Kassab, mas que, para isso, não se esquecessem de ter uma visão nacional do desenvolvimento da legenda. “Tem que ficar claro para ele (Kassab) que vocês têm condições de ajudar o partido na esfera nacional sem a necessidade da figura do Volpi. Se isso estiver claro, não haverá razões para a vinda dele (Volpi) para o PSD”, acrescentou o vereador paulistano.
“Ainda estamos num momento preliminar”, concluiu Police. Com essas palavras, tanto o presidente municipal do PSD, Koiti Takaki, quanto o presidente da Câmara, Gerson Constantino, se sentiram mais aliviados já que a situação criada por um falatório nos bastidores políticos da cidade foi desmentida. Agora, os cabeças do PSD municipal estão preparando um encontro com o prefeito de São Paulo visando apresentar um plano de trabalho satisfatório, garantindo ao grupo a autonomia da sigla em Ribeirão Pires, que até então tem sido o braço direito do grupo ligado à oposição de Saulo Benevides.

Compartilhe