Professores fazem paralisação para reivindicar melhorias de trabalho

Cerca de 300 professores da rede municipal de ensino de Ribeirão Pires promoveram ontem uma manifestação pacífica que percorreu as ruas centrais da cidade reivindicando melhorias no trabalho e nas escolas públicas.

Manifestação tomou Centro da cidade na manhã de ontem

Com apitos, buzinas e um carro de som, os professores enfrentaram a chuva e saíram do Paço Municipal com destino a Câmera Municipal, onde acontecia a Sessão Ordinária. A frente da manifestação estava o professor Juscelino de Oliveira, da “Oposição Alternativa” do Sindicato dos Professores que, juntamente com os colegas, participou da Sessão. Os vereadores presentes ouviram atentamente a lista de pedidos lida pela professora Rita, escolhida pelo grupo para ler uma carta com as quatorze reivindicações feitas pelos professores, como 6,73% de reajuste salarial, conforme INPC retroativo a maio de 2013, melhorias na cesta básica e troca por ticket alimentação, melhores condições de trabalho, ampliação das escolas e fornecimento de material escolar e merenda, redução de números de alunos por salas e plano de carreira.

A seguir, os vereadores tomaram a palavra: “Eu tenho muito orgulho do trabalho que vocês fazem que é a educação da nossa cidade é de qualidade, eu sei que o salário não chega nem nos pés do que vocês merecem, mas vocês merecem todo o nosso apoio todo nosso respeito porque eu conheço de perto o trabalho de cada uma de vocês”, disse Cleo Meira. “Depois das nossas mães vocês são nossos educadores, então fiquem a vontade que vocês estão na casa de vocês, estamos juntos e iremos ajudá-los”, completou o vereador Paixão.

Enquanto isso, outro grupo levou a pauta para a secretária de Educação Leonice Moura. Após o encontro, a comissão foi à Sessão. “Falaram que nosso movimento não iria ter repercussão. Somos professores e agora decidimos acordar e aqui está o pessoal apesar de toda coação que ocorreu. É nossa luta e vamos conseguir o que estamos pedindo, não estamos aqui para reivindicar salário, mas sim para reivindicar um todo” disse a professora Sheila Abrantes de Souza, em referência a uma série de boatos que correu na terça-feira a respeito de um suposto desligamento de profissionais que participassem da ação que não foi endossada pelas diretorias dos sindicatos da categoria, no caso o Sineduc (rede municipal) e a Apeoesp (rede estadual).

A prefeitura de Ribeirão Pires informou que as reivindicações dos professores foram recebidas pela administração e serão avaliadas.
“A paralisação de um dia é um direito dos funcionários. Conforme acordado durante encontro da comissão dos professores com o prefeito Saulo Benevides e a vice-prefeita e Secretária de Educação, Leonice Moura, não haverá prejuízos aos profissionais”.

Compartilhe