Por dentro do feriado do Dia de Tiradentes

O dia de Tiradentes é uma homenagem a Joaquim José da Silva Xavier, uma pessoa revolucionária que ajudou, mesmo que indiretamente, o Brasil a obter sua independência. A trajetória de Tiradentes, como foi apelidado, está conectada diretamente com a Inconfidência Mineira, que foi uma tentativa de separação do Brasil Colônia do reino de Portugal. Essa revolta foi reprimida pelo governo mineiro em 1879, época do auge do ouro brasileiro. A luta em que a movimento inconfidencista se pautava era contra a ‘Derrama’ (imposto cobrado na época) e o próprio império português.

Tiradentes foi um mártir da Inconfidência Mineira

Tiradentes foi um mártir da Inconfidência Mineira

Joaquim José da Silva Xavier foi alfares e também dentista (daí o apelido), participou ativamente dos movimentos políticos e foi um dos líderes da Inconfidência. A inconfidência por sua vez, estimulada pelos ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade da Revolução Francesa de 1789, foi uma revolta que não obteve sucesso e por isso todas as pessoas participantes do movimento, incluindo Tiradentes, foram presas.

Como Tiradentes não tinha muitos bens, diferentemente das outras pessoas presas, não conseguiu liberdade e depois de seu julgamento, Joaquim José da Silva Xavier foi condenado a morte. Em 21 de abril de 1792, foi enforcado e esquartejado, depois seus restos mortais foram exibidos em praça pública.

Tiradentes representou um símbolo de luta e resistência e é considerado até hoje como um dos primeiros percursores do processo de independência do Brasil. Em 09 de dezembro de 1965, o então presidente Marechal Castelo Branco instituiu uma lei determinando o dia 21 de abril como feriado nacional de Tiradentes e deu o título de Patrono da Nação Brasileira à Joaquim José da Silva Xavier.

Compartilhe