PMN protocola pedido e Anderson Benevides pode perder mandato

Na última segunda-feira, o PMN, Partido da Mobilização Nacional, entrou com petição junto à Justiça Eleitoral para solicitar a perda do mandato eletivo do vereador Anderson Benevides por infidelidade partidária.

Vereador está sendo acusado de infidelidade partidária

No mês passado, o edil deixou a legenda rumo ao PSC alegando “falta de espaço” a fim de se pré-candidatar a deputado federal, algo que lhe foi negado, já que o partido pré-indicou o William Ferreira dos Santos, o Professor Lico, presidente estadual do partido para o pleito do ano que vem. Foi oferecida a Benevides a possibilidade de se candidatar a deputado estadual, mas o mesmo recusou.

Como a mudança fere as resoluções 22.610/07 e 22.733/08 da legislação eleitoral, já que não houve “incorporação ou fusão do partido, a criação de novo partido, a mudança substancial ou o desvio reiterado do programa partidário e a grave discriminação pessoal”, a solicitação do partido é plausível.

O vereador comentou o fato ao Mais Notícias: “estamos preparados para lutar. Vou recorrer de qualquer jeito e acredito ter respaldo para isso pois estava ciente de tudo o que eu fiz antes da desfiliação. Eu respeitei o partido e tinha a intenção (em sair candidato a deputado federal), mas o partido não me respeitou tanto que eles usaram de descriminação ao dizer que eu não poderia ser candidato por ser jovem, o que também foi um desrespeito comigo e por isso me desliguei“. Anderson completou garantindo que irá até o fim para manter seu mandato: “eu vou lutar por isso. Sei que o processo é demorado e uma decisão não vai acontecer de uma hora para outra. Vamos recorrer dentro do prazo. Agora está nas mãos de Deus”.

O processo terá como relatora a juíza Clarissa Campos Bernardo, a mesma que impugnou a candidatura do “Ficha Suja” Dedé da Folha  a prefeito nas últimas eleições. A decisão deve sair nos próximos dias.

Compartilhe