Para onde vai o alumínio?

Uma pergunta que não quer calar: o que será feito dos tubos de alumínio da estrutura da Velha Rodoviária de Ribeirão Pires que está sendo desmontada e que, segundo cálculo de especialistas, valeria ao menos R$ 5 milhões se vendido como sucata.

 

O Mais Notícias perguntou ao Departamento de Comunicação da Prefeitura qual seria o destino da sucata e a resposta foi lacônica: “será guardada em próprio municipal para posterior utilização. Então vai outra pergunta: por que guardar um material tão volumoso e valioso sem que haja um objetivo de uso em fim de mandato. O desmonte, transporte e armazenagem deverão custar muito caro aos cofres públicos da Estância, então porque não se providenciou uma licitação para a venda do bem em pé, onde o vencedor se encarregaria do desmonte, transporte e armazenagem e ainda reforçaria o combalido tesouro municipal?

 

Será que nosso prefeito, tão inteligente e seus inúmeros assessores não pensaram nisso? Ou será que existe uma “caveira de burro” enterrada nessa história?

 

O povo está de olho. A imprensa está atenta e até o Ministério Público foi colocado de prontidão diante de fato tão estranho. O município precisa de dinheiro, há como consegui-lo rápido e limpo, porém conduz o processo por caminhos no mínimo tortuosos. Será que teremos uma repetição ampliada do caso dos 28 computadores que o PT adquiriu no final do mandato Maria Inês e sumiram misteriosamente?

Gazeta

 

Compartilhe