Ouro Fino: caminho para o desenvolvimento de Ribeirão Pires

O Distrito de Ouro Fino, com seus 20 mil habitantes, é uma das mais importantes regiões de Ribeirão Pires e é visto hoje como a área para onde Ribeirão Pires pode crescer, gerando empregos, arrecadação de impostos e representando alto peso político, já que uma vitória por lá representaria meio caminho andado rumo ao Paço Municipal.

Ouro Fino será motor de desenvolvimento de Ribeirão Pires nos próximos anos

Entretanto, ainda há diversas demandas a serem discutidas nas mais diversas áreas, como saúde, educação, desenvolvimento e, principalmente, segurança, uma vez que os índices de criminalidade cresceram sobremaneira. A última, por sinal, é uma das maiores preocupações dos moradores, como Mercedes D’Orto que tomou a iniciativa de tentar viabilizar, com recursos próprios, a autorização para erguer uma base policial na região: “Não quero me promover, essa questão nem passa pela minha cabeça. O que eu quero é colaborar com minha cidade dentro daquilo que eu posso conseguir. Segurança é prioridade”.

Outro morador conhecido da região é o vereador Jorge da Autoescola, que endossou as palavras de Mercedes, afirmando que ouve inúmeras reclamações sobre o tema. Ele fez apenas uma ressalva: “infelizmente no Município não há contingente suficiente de policiais”.

Admir Augusto, o popular Mirão, falou mais: “Ouro Fino cresceu muito nos últimos anos e isso traz vários problemas sociais, inclusive falta de segurança”. Ele ressaltou que, assim como boa parte da população do Distrito, a presença da polícia inibiria – e muito a criminalidade: “a instalação de uma base da Guarda Civil Municipal no Distrito, com pessoal ostensivo e rondas aumentaria a segurança da região”.

Já as irmãs Lair e Leo Moura também apontaram deficiências na saúde: “é preciso transformar a Unidade Básica de Saúde em uma unidade com mais resolutividade, e que tenha uma ambulância de plantão”, afirmou a primeira, seguida pela irmã, que defendeu a manutenção de recursos no local: “qualidade de vida também passa por desenvolvimento sustentável. Ouro Fino pode se desenvolver preservando o que tem de melhor, que é o verde de suas matas”.

Todas essas necessidades devem ser sanadas brevemente, já que a região deve receber diversos investimentos, dado o saturamento (e altos preços) de áreas nas regiões centrais da cidade. Isso posto, seria viável uma emancipação do Distrito? Para Antonio Muraki, a resposta é não: “Para custear uma prefeitura, câmara municipal e maquinários é preciso toda uma infraestrutura que hoje carecemos muito, por isso sou contra a emancipação”.

Nos próximos anos, Ribeirão Pires terá em Ouro Fino uma das principais forças motrizes do seu desenvolvimento, de forma que o Distrito deve assumir de uma vez o papel de grande protagonista até mesmo do Grande ABC. Por isso, não é exagero dizer que Ouro Fino ainda vai dar muito o que falar.

Compartilhe