OSSPUB e Prefeitura resolvem pendências e atrasos

Após semanas de situação delicada, o clima entre a administração da OSSPUB (Organização Social de Saúde Pública) e funcionários, começa a voltar ao normal. Os salários, que até então estavam atrasados, estão sendo pagos aos poucos conforme a Prefeitura repassa os valores em aberto há algumas semanas. Desde o início desta semana, a Prefeitura vem efetuando depósitos na conta da entidade que, por sua vez, coloca a casa em ordem.

Os funcionários da Saúde finalmente terão seus salários pagos

Nos primeiros três meses em que a OSSPUB assumiu a administração da Saúde municipal, o atendimento e o serviço prestado melhoraram muito. Uma pesquisa realizada pela organização mostrou que o descontentamento dos usuários do sistema público de saúde caiu de 76 para 32% após o início das atividades da organização social. A insatisfação recomeçou depois que atrasos no pagamento e problemas internos começaram a acontecer.

A Prefeitura de Ribeirão Pires chegou a atrasar quase R$ 2,5 milhões de repasses à entidade, o que deixou a OSSPUB sem os meios de acertar sua folha de pagamentos. Salários atrasados e a insatisfação dos funcionários refletiram diretamente na qualidade do atendimento, o que piorou a crise na entidade.

Agora, com as contas sendo pagas, a expectativa é que os pacientes do São Lucas percebam reais melhorias no atendimento, inclusive com a volta da qualidade dos serviços prestados.

O prefeito Clóvis Volpi (PV), em entrevista exclusiva ao Mais Notícias assumiu um compromisso de quitar a dívida com a OSSPUB, mesmo que tenha que gerar dívida em outros setores, como a Infraestrutura. “Mudamos a forma de pagamento, de modo a permitir um melhor controle da Prefeitura. Agora a prestação de contas será feita mensalmente, e reembolsaremos a OSSPUB após a apresentação das notas”, informou o prefeito. Até então, a prestação de contas era feita trimestralmente.

Fontes internas da organização informaram que o atraso do repasse começou quando o Ministério Público apontou discrepâncias nos contratos com o Instituto ACQUA. Para a Prefeitura, a falta de pagamento foi uma medida preventiva tomada a fim de evitar novas perdas de dinheiro público depois que membros do conselho gestor da OSSPUB disputaram judicialmente a gestão da entidade.

Tanto a Prefeitura quanto a OSSPUB garantem que a quitação de 100% da folha de pagamento das empresas ligadas à Saúde será tratada com prioridade.

Compartilhe