Os Jogos Abertos chegaram

“É hora de mostrar porque somos conhecidos como Grande ABC e que temos plenas condições de abrigar evento de tamanho porte para o Estado.”

Mais uma vez, o Grande ABC sediará a 81ª edição dos Jogos Abertos do Interior. A competição – berço de grandes nomes do esporte nacional, como Maurren Maggi e Diego Hypólito – será disputada em São Bernardo, São Caetano, Santo André, Mauá e Ribeirão Pires e conta com a participação de mais de 12 mil atletas de quase 200 cidades paulistas. Para se ter uma ideia, as Olimpíadas 2016 no Rio de Janeiro contaram com 10,5 mil atletas de 206 países – 1,5 mil a mais – guardadas as devidas proporções.

Além de fomentar a prática de esporte, os Jogos Abertos proporcionam o espírito de companheirismo e, consequentemente, de sociabilidade. Uma vez praticando alguma modalidade esportiva, a pessoa é mais saudável e fica longe do “mau caminho”, que contempla drogas, criminalidade e tudo o que há de ruim. É assim que nascem iniciativas que mesclam o esporte com o social, como é o caso do Gol do Brasil, projeto da CBF.

Os Jogos propiciam, em 2017 especificamente, algo além dos valores positivos citados anteriormente. O fato de que as disputas acontecerão em quatro das sete cidades que compõem o Grande ABC impulsiona a região de diversas formas. A começar pela economia que será movimentada por visitantes. Isso contempla tanto torcedores quanto turistas, visto que, em especial àqueles que vêm do interior devem se hospedar na região – o que já gera renda para o setor hoteleiro – e devem aproveitar para conhecer as belezas naturais e criadas pelo homem que nossa região tem a oferecer.

É a chance também de provar que todas as sete cidades são unidas (como pediu o prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira, no último sábado: “Precisamos mostrar que somos um só corpo e fortalecer essa união.”) em todos os aspectos.

Na luta contra o crime, no desenvolvimento da região, na troca de conhecimentos e de políticas públicas. É hora de mostrar porque somos conhecidos como Grande ABC e que temos plenas condições de abrigar evento de tamanho porte para o Estado.

Desenvolvimento: Esta é a palavra-chave, pois, para os municípios, além do que já foi citado no parágrafo anterior, o ato de sediar os Jogos Abertos também dá abertura à possibilidade de desenvolvimento da região em vários de seus núcleos, bem como da sociedade como um todo.

O positivismo emanado pelos esportes contagiam seus espectadores e praticantes, o que só pode resultar na melhora de nossa convivência com o próximo. Por isso, que a 81ª edição dos Jogos Abertos do Interior seja mais um fator de integração social, eliminando as diferenças como só o esporte pode fazer.

Compartilhe