Operadora de Plano Odontológico da Prefeitura desaparece

Na última terça-feira, a leitora Patrícia Rodrigues entrou em contato com a redação do Jornal Mais Notícias para falar sobre um transtorno por qual estão passando os funcionários públicos que contrataram o plano odontológico oferecido pela Prefeitura, operado pela Sigma Odonto.

Casa onde a empresa trabalhava já está disponível para locação

Segundo ela, que é professora concursada, a empresa, que atendia à Rua José Mortari, simplesmente fechou as portas e não está mais prestando atendimento no local. “Tenho um tratamento de canal por fazer, estou com dores e um curativo aberto. A Sigma simplesmente nos deixou na mão”, afirmou, ressaltando que é pago um valor mensal, descontado em folha que, por sinal, é próximo a média de mercado cobrado por outras operadoras maiores, como a Amil.

A primeira informação passada a ela era de que não havia prazo para a retomada do atendimento que, para os funcionários da cidade, era prestado exclusivamente no local. A solução, tomada por ela e por outros funcionários, foi ir ao Procon. “Lá, após a denúncia, fui informada pela gerente, que conseguiu contato com a empresa, que o atendimento será realizado em outro local, no centro, na Rua Afonso Zampol, mas só a partir do dia 16. Até lá, o que faço? E se pego uma infecção?”, completou Rodrigues, que é cliente do plano desde julho de 2011.

Em tempo: outras fontes contatadas pela reportagem confirmaram a versão da leitora, completando que o “serviço só funcionou bem mesmo no primeiro mês”. A Prefeitura de Ribeirão Pires, por meio de sua assessoria, afirmou que iria verificar as informações com o RH para dar um retorno mais preciso, mas não o fez até o fechamento desta edição.

Compartilhe