O mecânico que virou artesão

Sua história de vida tinha tudo para dar errado, mas a motivação e o entusiasmo de Flávio Sebastião de Paulo fizeram toda a diferença e hoje, seu trabalho está estampado nos quatro cantos da cidade.

Pancho mostra um pouco do seu trabalho: diferentes tipos de placas

Mais conhecido como Pancho, o mecânico industrial aposentado sofreu um grave acidente de moto em meados dos anos 1980. Na época, além de passar mais de 20 dias em coma e perder a visão de um olho, Pancho ficou impossibilitado de exercer a profissão. Nessas circunstancias, enquanto muitas pessoas teriam desistido da vida, ele procurou dar a volta por cima e partiu para um recomeço. Aprendeu uma nova profissão, o artesanato, e passou a viver do trabalho manual desde 1987.

As mãos de Pancho desenvolveram um talento nato. “Faço tudo o que você pode imaginar. Casas de boneca, carrinhos, cavalinhos, placas, porta bíblias, portões, oratórios. A variedade é grande”, revela o artesão mais procurado da cidade.

Pancho conta com a colaboração de parceiros, seu principal aliado é o Atacadão da Madeira. “Eles me ajudam com doação de peças ou com preços reduzidos”, agradece. Para realizar seu trabalho, Pancho faz visitas a domicílio, avalia a necessidade e dá o orçamento na hora. Seus preços variam entre R$ 20 e R$ 1500.

Para conhecer o trabalho manual de Pancho entre em contato pelo número: 11 7339-0669.

Compartilhe