O dilema da Fabrica de Sal

A antiga Fábrica de Sal Cotelessa que foi um dos maiores símbolos da industrialização na cidade de Ribeirão Pires, hoje é sinônimo de falta de segurança para os moradores. Recentemente, varias reclamações por conta da fiscalização da prefeitura e de segurança vieram a público e, mesmo diante dos acontecimentos, os problemas ainda continuaram.

Prédio aguarda por reparos

Interditado em 2003, o prédio Dom Helder Câmara conhecido como Fábrica de Sal, localizada no Centro Alto da cidade continua sendo abrigo de usuários de drogas e moradores de rua, mesmo após a Prefeitura destacou Guardas Civis para proteger o local 24h por dia.

Segundo uma mãe de aluno da escola Municipal Lavínia Figueiredo Arnoni, os guardas que a prefeitura destinou para ronda no local “ficam apenas nas imediações da Biblioteca Olavo Bilac, sendo que neste local não tem nenhuma visibilidade do que esta acontecendo em torno da Fábrica de Sal”. As palavras dela foram endossadas por outra mãe, Monize Balbino: “os policiais entram de manhã na Fabrica de Sal para tirar os mendigos que dormem lá, mas durante o dia, somente fazem ronda dentro da Biblioteca, se alguém me pegar e levar para a Fábrica de Sal eles não vão nem perceber”, disse, antes de disparar: “se é pra fazer ronda, que façam direito!”

Para amenizar os problemas, a Prefeitura instalou uma cerca para proteger o monumento histórico contra invasão e depredamento, porém há uma abertura que, segundo Monise, é usada para policiais entrem para ronda dentro da Fábrica de Sal. Por outro lado, essa mesma abertura facilita a entrada de qualquer pessoa no local.

Em resposta a prefeitura de Ribeirão Pires informa, que foi realizada análise química ambiental que indicou não haver necessidade de dessalinização do espaço. “A Prefeitura está trabalhando numa reavaliação técnica para elaboração de projeto mais eficiente de adequação do espaço. A princípio, o local deve ser direcionado a atividades educacionais, com possibilidade de instalação de um centro de capacitação de professores”.

Em relação a segurança, a prefeitura informa que medidas estão sendo tomadas para garantir a segurança dos usuários do Centro Educacional Ibrahim Alves de Lima. ”A Secretaria de Segurança Pública de Ribeirão está reforçando as rondas no entorno do espaço onde está localizada a Fábrica. O local conta agora com monitoramento permanente de Guarda Civil Municipal, 24 horas por dia”.

Compartilhe