O caos da saúde pública

Milhões de pessoas morrem, anualmente, pela inoperância do serviço público de saúde deste país. A nova geração de médicos é, francamente, mercenária e materialista. Além disto, longe deles atuarem com lisura e idealismo no serviço público. Eles estão imbuídos em transformar a saúde num comércio, altamente, lucrativo, visam unicamente o lucro.

Na Alemanha a Saúde e a Educação são públicas e o avanço científico da medicina é extraordinário (vide nanotecnologia, novos fármacos, diagnósticos por imagem, novas técnicas cirúrgicas, física médica e a medicina preventiva). No Brasil precisamos de uma revolução cultural. Inspirar vocações nos jovens, desde tenra idade para buscar no exercício da medicina um ideal. Vejam o exemplo louvável dos “médicos sem fronteiras”. Eles são guiados por um espírito humanitário, solidário e fraterno para com o sofrimento do próximo.

De quem é a culpa da ganância desenfreada dos “novos” médicos? Um dos fatores é a Mídia que propaga o culto ao materialismo, a proliferação promíscua e a massificação das faculdades de medicina, aumentando a oferta desta formação profissional, sem critérios técnicos, estruturais, éticos e sem a conscientização dos jovens para terem um engajamento responsável e humanitário nesta nobre profissão. Por outro lado, vale dizer que os pais dos filhos da classe média alta e da elite pregam o “sucesso”, a qualquer preço aos seus filhos.

É fato inconteste, que uma maciça maioria da classe A quer ver seus filhos na carreira de medicina. Ter sucesso pessoal na contemporaneidade é sinônimo de ganhar muito dinheiro. Diante deste apelo, o paciente é “coisificado” pelos novos médicos, virando um meio para se obter dividendo financeiros, com muitos profissionais até “forjando” cirurgias, exames, e tratamentos dispensáveis. Há casos de consultas que demoram apenas cerca de 2 minutos.

A meta é a ALTA produtividade de consultas sem maiores critérios éticos.

Há casos em que médicos, pedem um sem-número de exames, de que o paciente não precisa, dado que ele não apresenta um quadro clínico que requeira esta necessidade diagnóstica complementar, e esta demanda dos exames esta condicionada ao flagrante despreparo profissional dos médicos e ao abuso dos recursos e da estrutura pública.

Senhores, a saúde pública está na UTI. Atendimento péssimo. Falta de recursos. Médicos desmotivados, muitos deles sem caráter e idoneidade, mal-formados, etc. Ou resolvemos o caos que impera neste setor, ou não teremos futuro nenhum.

A corrupção, o materialismo e a ganância dos médicos acaba matando os pobres, sejam eles crianças, velhos e os doentes crônicos na fila interminável do SUS. “Miséria é falta de amor entre os homens. Deus não gosta de insensíveis.” (Irmã Dulce)

Está crescendo, assustadoramente, a taxa de mortalidade nas classes menos favorecidas, economicamente. Então, para que adianta destinar os royalties do petróleo para a educação se não há Saúde? É preciso ter consciência para nomear as prioridades, e Saúde é fundamental. Sem saúde não há vida!

Reinaldo Müller

Consultor de Marketing e Vendas

 

Compartilhe