Na Câmara, professores dão início à campanha salarial

A Sessão de ontem da Câmara Municipal foi marcada pela presença maciça de representantes de dois grupos: os skatistas e os professores da rede municipal, que apresentaram os seus respectivos pleitos.

Docentes compareceram em bom número à Casa de Leis

Docentes compareceram em bom número à Casa de Leis

Os primeiros foram cobrar uma solução para a questão da pista da cidade, que há tempos carece de reformas, tendo sido inclusive alvo de um requerimento feito pela finada Mercedes D’Orto ainda no começo desta legislatura, no ano passado. Os vereadores receberam o pleito e chegaram até mesmo a elogiar a postura dos garotos, que buscam uma solução para o problema.

O segundo grupo, por sua vez, visitou a casa para anunciar o início da Campanha Salarial 2014 que tem como tema “Negociação pra Valer! Conquistas para todos”. Os docentes pleiteiam a reposição das perdas salariais referentes a 2012 e 2013 (quando os referentes dissídios não foram pagos sob alegação de que a categoria já havia feito jus ao aumento do piso nacional), além do índice deste ano que será definido até a data-base da categoria, em maio. Eles também pleiteiam a correção do aumento dos funcionários administrativos de 2012, que, segundo o sindicato, foi aplicado da forma incorreta causando perdas, além de melhorias gerais nas condições de trabalho, como o combate ao assédio moral nos diversos setores da Prefeitura, algo prometido pela gestão, mas que, de acordo com o sindicato, ainda não saiu do papel, e também a elaboração de um plano de carreira, entre outros. “Não vamos admitir de nenhuma forma de que o dissídio não seja pago aos professores novamente”, afirmou a presidente do Sineduc, Perla de Freitas.

Caso todos os pleitos sejam atendidos, os professores poderiam ter aumento de até 25% nos seus vencimentos. Por ora, uma paralisação ainda não está em discussão: “A greve seria uma medida extrema. Antes disso, é possível realizar uma série de medidas jurídicas. Mas estamos em início de negociação, como todas as categorias e a nossa está bastante mobilizada”, concluiu Perla.

Requerimentos – Durante a sessão também foram lidos os requerimentos dos vereadores. Como destaques, um pedido da vereadora Diva do Posto (PR) que cobrou providências a respeito dos cartazes colados em postes e muros da cidade que, em sua maioria, são encomendados por comerciantes de fora: “se temos uma Lei Cidade Limpa em vigência, ela tem que valer para todos”, explicou a edil. Já o vereador Eduardo Nogueira (PROS), solicitou informações sobre as famílias em situação de risco na cidade. Por fim, o vereador Jorge da Autoescola (PR) cobrou melhorias na segurança de Ribeirão Pires.

Compartilhe