Moradores do Centro também reclamam do “Vale Zona Azul”

Na edição 596, o Jornal Mais Notícias relatou as reclamações dos comerciantes diante dos carros estacionados, muitas vezes o dia todo, em frente a seus estabelecimento com o chamado “Vale zona Azul”, uma credencial emitida por vereadores e pelo Paço que permite estacionar indefinidamente na área de Estacionamento Rotativo. Depois disso, recebemos várias outras reclamações, desta vez de moradores da região e também de munícipes que mas não encontram lugar para estacionar na área da Zona Azul.

Carros com credenciais chegam a ocupar 50% do espaço disponível

A Rua Felipe Sabag é uma conhecida rua comercial da cidade, mas ainda conta com alguns moradores que acompanharam a evolução da rua. Uma delas, que pediu para não ser identificada, entrou em contato com nossa redação para contar sua indignação com o que classificou como falta de respeito com os moradores daquela via.

“Eu moro nesta rua há mais de 60 anos, e diariamente vejo esses carros parados na frente da minha casa, impossibilitando meus parentes de pararem em frente a minha residência. Eu pago impostos e tenho direito de ter a vaga na frente da minha casa livre. Não é certo o que esta acontecendo nesta rua, todos os moradores que moram aqui há anos estão indignados com o que está acontecendo”.

A moradora conta que tentou reclamar com a Aciarp que, por sua vez, informou não ter controle sobre esses cartões. “As meninas que passam fiscalizando os carros que estão com o cartão da Zona Azul também deveriam fiscalizar esses carros com os vales da prefeitura, anotando a placa e hora que o carro está estacionado, assim teriam um controle”, sugere a moradora antes de ironizar: “Se vereadores e funcionários da Prefeitura querem um estacionamento só para eles, então porque não derrubar as casinhas do (complexo) Ayrton Senna para eles estacionarem?”

Outro morador, que se identificou como Pedro, indignado com a falta de vagas na cidade um morador nos procurou para relatar o que aconteceu com ele na ultima quarta-feira: “Comprei o cartão da Zona Azul, porém tive que rodar durante 20 minutos para achar uma vaga. Tenho certeza de que se todos os carros que estavam estacionados estivessem com o cartão, não precisaria ficar rodando por todo esse tempo. E a maioria deles estava com o Vale”.

Questionada, a Prefeitura de Ribeirão informa que o Poder Executivo possui 20 cartões para utilização de todos os setores da Prefeitura. No caso da Câmara, como informou a administradora do sistema, não há controle da administradora do sistema sobre as credenciais emitidas.

Situação crítica – Na última terça, foram contabilizados 10 carros com o Vale Zona Azul na rua Felipe Sabag por volta das 13h30 e ontem, às 10h30, eram 15. Se considerarmos que a rua tem, aproximadamente 30 vagas disponíveis, chegamos à metade das vagas ocupadas por portadores dos tais vales, ou seja, 50% do total que, além de não colaborar financeiramente com a manutenção do sistema, também ficam ilesos de punições por desrespeitar o objetivo da Zona Azul, que é ser um estacionamento rotativo, que permita a todos o mesmo direito de utilização das vias públicas, prejudicando a cidade e o comércio. Vale ressaltar que o período máximo de estacionamento em uma mesma vaga é de duas horas, regra ignorada pelos portadores do “Vale Zona Azul” que, não raro, ficam o dia inteiro na mesma vaga.

Um solução viável seria incluir os “Vales Zona Azul” na fiscalização, multando os veículos que ultrapassem o período de duas horas para uso da vaga algo que, em uma cidade com escassez de locais para estacionamento, seria vital para o bom funcionamento do sistema e para a igualdade de condições entre os “vips” e os “pobres mortais”.

Compartilhe