Medicamentos Genéricos: opção econômica e confiável para cuidar da saúde

Uma das grandes revoluções ocorridas no Brasil neste século certamente foi a introdução dos medicamentos genéricos, que são os medicamentos com patente expirada que são produzidos por diversos fabricantes, aumentando a concorrência e diminuindo o preço.

thiago-genericos

Farmacêutico atesta: Consumidor pode confiar nos genéricos

Com origem nos Estados Unidos, ainda na década de 60 do século passado, chegaram ao país após iniciativas de Eduardo Jorge, Jamil Haddad e José Serra que, cada qual a sua época, tiveram papel decisivo na regulamentação no Brasil.

Desta maneira, os genéricos possibilitaram a população o acesso a medicamentos de alta tecnologia a custo acessível e seguros, já que devem obedecer aos mesmos padrões dos medicamentos conhecidos, que são chamados de “referência”, ou seja, aqueles os quais são equivalentes.

Em se falando de preço, temos exemplos de medicamentos que chegam custar 80% menos em sua versão genérica, se comparada a versão de referência. O Farmacêutico Thiago Santos de Souza, da Brasil Genéricos, explica que “o genérico é mais barato, entre outras coisas, por não ter investimento em pesquisa, uma vez que ele é feito a partir de patentes que já venceram. Passado esse período (que pode chegar a 15 anos), ele pode ser produzido por outros fabricantes. Além disso, a tributação é diferente. Tudo isso o torna mais em conta”.

Cabe ressaltar que, embora o custo seja menor, a qualidade é a mesma: “o Genérico é exatamente igual ao medicamento de referência”, disse Thiago.

Ele lembra que “hoje ainda há resistência de algumas pessoas, mas quero lembrar que, em alguns casos, os genéricos têm qualidade superior à dos medicamentos de referência. Além disso, são produzidos por laboratórios do mesmo grupo, as vezes no mesmo lugar e com o mesmo responsável farmacêutico. Ou seja: os grandes laboratórios multinacionais produzem medicamentos genéricos. Além disso, quero lembrar que o Brasil tem uma fiscalização muito séria”.

Thiago conclui ressaltando a qualidade dos genéricos: “O consumidor pode confiar plenamente no genérico. É extremamente confiável e seguro, além de ter um custo menor, acessível, e com um produto de qualidade. Enfim, é uma conquista da população brasileira”.

Tipos de remédios – Segundo a lei, o Brasil hoje conta com três tipos de medicamentos, chamados referência, similar e genérico que, a rigor, se diferem apenas pelo preço e pelo fato de os dois primeiros terem nomes comerciais. Um exemplo, que está ilustrado na imagem que abre esta matéria é o Cataflam (referência), que equivale ao Probenxil (similar, com nome comercial) e ao Diclofenaco Potássico (genérico, somente com o princípio ativo).

Compartilhe