Maria Inês recebe apoio de José Eduardo Cardozo, Ministro da Justiça e relator do Ficha Limpa

No último sábado, a candidata a prefeita de Ribeirão Pires pelo PT, Maria Inês recebeu mais um integrante do primeiro escalão do governo da Presidenta Dilma Rousseff, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que em café na Padaria Central, analisou o Programa de Governo, em especial a parte de segurança, tirou fotos com eleitores, militantes e candidatos da legenda e, a seguir, protagonizou um mini-comício no calçadão da Rua do Comércio.

Ministro completa roll de personalidades que demonstrara apoio à candidatura de Maria Inês

Em sua fala, ressaltou a qualidade do documento, ressaltando as qualidades, em especial da área de Segurança. “Isso é a prova da qualidade do governo que Ribeirão Pires pode ter”, disse, antes de ressaltar pontos como monitoramento por câmeras. A seguir, Cardozo ressaltou a experiência da candidata: “se o Mano Menezes pudesse chamar os campeões de outras Copas do Mundo, como Rivellino, Ronaldo, teria um timaço. E a Maria Inês, nas suas primeiras gestões, ganhou uma Copa do Mundo para Ribeirão Pires. Então, por que não escalá-la para mais quatro anos?” A seguir, mais elogios: “assino embaixo da correção e da ética de Maria Inês. Ela é uma candidata séria, correta, companheira e firme. Um bom prefeito tem que ter capacidade de articulação política para trazer recursos federais e estaduais para Ribeirão Pires e isso ela tem”.

Cardozo concluiu o discurso afirmando que tudo pode mudar na reta final: “os últimos dez dias de campanha são decisivos, pois é quando as pessoas deixam para escolher ou até reavaliar em quem vão votar. Tenho absoluta certeza, pela margem grande de indecisos que há na cidade e pela situação das outras candidaturas, que muitos votos irão migrar para Maria Inês nesta reta final”.

Ficha Limpa – Cardozo foi um dos relatores da Lei Ficha Limpa, projeto de iniciativa popular que entrou em vigor este ano e está sendo usado pela primeira vez nas Eleições 2012 que acabou por levar pleitos em todo o país a discussão no poder judiciário. “As leis submetem um campo maior de exame das candidaturas por parte da Justiça e é natural que faça com que as campanhas sejam mais judicializadas, não só em Ribeirão Pires”, afirmou o ministro.

Apesar do clima de que a decisão das eleições será nos tribunais, o ministro prefere acreditar que o eleitor fará o maior julgamento: “A Justiça Eleitoral tem um papel muito importante nas eleições, mas a justiça mais eficaz é a das urnas. Se uma pessoa usa de violência ou métodos ilegais para se eleger, imagine o que não fará se eleito. Pessoas assim agirão de forma arbitrária e abusiva”, afirmou o ministro antes de ressaltar: “o jugamento mais importante é o das urnas. Pessoas que agem assim não merecem ser eleitas a nada”.

Para o futuro, Cardozo vê que a lei pode ter ajustes: “a Lei da Ficha Limpa é um grande marco na política brasileira, que permitiu uma situação reclamada pela população há anos, que é o controle efetivo nas urnas. Já existem estudos para que ela possa ser melhorada, mas sem perder esse espírito, de uma grande conquista democrática para o povo brasileiro”.

Compartilhe