Mães devem evitar dar chupeta aos filhos?

A chupeta é a grande companheira da criança, ela acalma, faz o choro parar e distrai, mas chega um tempo em que esta relação precisa ser cortada pelos pais. Haja paciência! Haja firmeza! É choradeira, gritaria, sono que não vem e pais que brigam por conta dos filhos, mas nada disso aconteceria com uma simples atitude: nunca dar a primeira chupeta.

Especialistas recomendam que pais não dêem chupetas aos filhos

A Dra. Eliete Castro, pediatra, defende veementemente esta ideia. “Quando se dá a chupeta é para acalmar a mãe ou a criança?”, pergunta a médica já respondendo que na verdade a chupeta é um refúgio dos pais para fazer o bebê silenciar. A Doutora argumenta que o desejo inicial nunca é da criança e que prova disso está na primeira experiência. “Os pais vão e colocam na boca do nenê a chupeta, ele por sua vez cospe, os pais insistem e novamente o filho joga para fora, até que uma hora ele aceita e com o passar do tempo vicia”.

Ela explica que de fato o objeto dá prazer, pois a sucção libera endorfina, dá sensação de bem-estar e alivia dores de cólica, mas tudo isso a amamentação também proporciona e ainda tem o contato materno que é insubstituível. “A ligação com a mãe é única, o peito está bem perto dos batimentos cardíacos, a criança sente o cheiro e escuta a voz da progenitora, é uma união emocional importante”, explica.

A fonoaudióloga Juliana Pontes, também concorda que o objeto seja prejudicial ao bebê, mas é um pouco menos enfática sobre a questão. “Cabe à mamãe dar os primeiros passos para que o bebê não sofra as conseqüências de algo perfeitamente evitável”, afirma.

O acessório interfere também na saúde da criança. A Dr. Juliana explica que usá-lo pode acarretar problemas na fala devido ao hábito de manter o posicionamento dos lábios e da língua incorretos, e que ainda causa o desequilíbrio da musculatura facial com prejuízos na respiração, podendo muitas vezes se tornar oral (respirar com a boca aberta). A pediatra concorda: “Respirar pela boca faz com que o ar não entre pela narina, que é um filtro de impurezas. Isso pode acarretar problemas de rinite e sinusite”.

Outra questão do objeto é que ele pode ser cancerígeno. A Dra. Eliete afirma que existe um plástico usado em chupetas e bicos de mamadeira que contém nitrosaminas que tem ação carcinogênica potente. É importante ressaltar que o acessório pede algumas atenções: “A chupeta deverá ser trocada no tempo sugerido e ser bem observada a indicação para cada idade. E mantê-la sempre guardada em locais limpos”, explica a fonoaudióloga.

Caso você já tenha dado chupeta, as duas especialistas recomendam que até dois anos a criança abandone o objeto. A revista Crescer lista algumas dicas que podem ajudar nessa tarefa: reduzir o tempo que o nenê fica com o acessório, não deixar a chupeta presa na roupas (tire o prendedor),  deixar a chupeta com um gosto desagradável, combinar um dia oficial para tirar a chupeta de vez e não voltar atrás.

Compartilhe