Lojistas da rodoviária e ACIARP se mobilizam contra comércio ilegal

A recente “invasão” de ambulantes na área entre a estação de trens e a rodoviária tem causado grande insatisfação entre os lojistas do terminal de ônibus, que se vêem prejudicados com o que classificam como concorrência desleal, uma vez que a maior parte dos produtos comercializados são similares aos vendidos no local.

Reunião foi realizada na última sexta

“Somos todos legalizados, com Inscrição Estadual, CNPJ e pagamos diversas taxas, como a da vigilância sanitária, taxa de fiscalização e outras, enquanto eles (os ambulantes), não. Isso é concorrência desleal”, afirmou o comerciante Reidir, proprietário do Beco do Espeto.

Para tentar encontrar uma solução, um grupo que representava os 16 lojistas esteve na sede da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Ribeirão Pires (ACIARP) para uma reunião com Gerardo Pedro Sauter, presidente da entidade, em que expuseram sua situação e suas queixas. O primeiro alvo, por sinal, foi o setor de fiscalização: “o (Luiz) Tondatto afirmou que não tem condições de fiscalizar e diz que os fiscais do setor dizem não têm autonomia”, afirmou o mesmo lojista no início do encontro.

Sauter, por sua vez, reiterou a parceria que há entre as partes, ressaltando que “é fundamental que se preze pela legalização”, ou seja, o CNPJ para todos.  “Se não tomarmos uma atitude agora, ficará pior”, completou, ao tomar ciência de que há, inclusive, pessoas de fora da cidade comercializando artigos no local.

Ao final do encontro, ficou definida a realização de uma nova reunião no próximo dia 16 de março, desta vez com a participação de secretários municipais e do departamento de fiscalização, além da ACIARP e dos comerciantes, com o intuito de resolver a questão e pedir que as autoridades trabalhem de forma efetiva e contínua para evitar mais prejuízos.

Ao final do encontro, o presidente Gerardo Sauter fez uma análise positiva: “Achei que foi uma reunião muito boa”, analisou Sauter, antes de completar: “esse tipo de iniciativa por um bem comum é algo fantástico”.

Compartilhe