Koiti Takaki será o novo presidente do PV

O Partido Verde de Ribeirão

Secretário de Governo de Ribeirão Pires volta a legenda após dois anos

Pires, que elegeu seu corpo diretivo em janeiro está em processo de mudança. Após uma decisão interna, o comando da legenda, cuja diretiva fora eleita em janeiro sob o comando de Claudio Deberaldine, passará para o atual secretário de Governo e de Saúde de Ribeirão Pires, Koiti Takaki, que volta a legenda após quase dois anos.

À época vereador, ele assumiu uma postura de oposição ao então prefeito Clóvis Volpi e se tornou o principal articulador da campanha de Saulo Benevides à prefeitura de Ribeirão Pires pelo PSD. Mais tarde, como o partido de Gilberto Kassab se aliou ao PT, ele ficou sem partido, mantendo sua fidelidade àquele que é o atual prefeito.

Apesar de ainda não responder oficialmente como presidente do PV, já que aguarda a oficialização junto a Justiça Eleitoral, Koiti afirma que em breve irá promover um grande ato de filiação partidária: “estamos aguardando a conclusão do processo para agendar uma data com a Executiva Nacional”, conta. O processo deve estar totalmente concluído até a próxima semana.

Quanto aos vereadores da legenda, Eduardo Nogueira (que irá assumir a cadeira que se encontra vaga por conta do falecimento de Mercedes D’Orto) e Gê do Aliança, ele já manteve conversas com o primeiro e se reunirá com o segundo em breve: “já conversei com o Eduardo na última semana e em breve iremos os três nos reunir”, conta. Quanto ao ex-presidente da legenda, Claudio Deberaldine, figura com grande presença regional, Takaki espera que ele se mantenha no partido: “eu não gostaria que ele saísse. Mas ele é livre para seguir seu próprio caminho”.

Combinação estratégica –

O PV, desde o início do ano, se colocou como oposição a Saulo, ainda que Mercedes D’Orto tenha sido elevada a condição de líder de governo. A nova composição da legenda também significa seu alinhamento a gestão atual, até mesmo pela posição de seu novo presidente municipal. Nos bastidores, corria forte a especulação de que Kiko Teixeira, ex-prefeito de Rio Grande da Serra, que está deixando o PSDB, teria em mãos a proposta de ser o candidato dos verdes ao Paço Municipal de Ribeirão Pires em 2016 – oferta que agradou a ele e a diretiva municipal da legenda. Desta forma, o alinhamento do partido com a gestão atual seria estratégico para evitar o potencial risco de um adversário forte no pleito. No momento Kiko, que pretende se candidatar a deputado federal no ano que vem, também tem propostas do PTB, PRB e PSC.

Compartilhe