Koiti barra demolição da antiga rodoviária e sugere novo destino para materiais

O vereador Koiti Takaki (sem partido) tomou uma medida austera quanto a demolição da antiga rodoviária. Nesta semana, enquanto passava pelo local, o vereador solicitou a paralisação das obras após constatar irregularidades.

Koiti solicitou a doação dos materiais para a APRAESPI

Takaki explica: “Sábado fui almoçar no restaurante local e percebi um trabalho irregular. Pedi para chamar o engenheiro responsável e fui informado que não havia nenhum no local. Não tinham parâmetros para retirada da estrutura metálica, não catalogaram as peças e estavam cortando tudo no maçarico, o que indisponibilizaria a reutilização das peças”.

O vereador informou que amigavelmente sugeriu a suspensão da desmontagem, sendo atendido de imediato. “Eles (empresa responsável e Prefeitura) deverão conversar sobre como desmontar, catalogar e remontar a estrutura. Enquanto isso, preparei um projeto de lei, subscrito pelos demais vereadores solicitando a doação do material para a APRAESPI”.

Durante a sessão da Câmara desta semana, Koiti apresentou o PL que foi incluso na pauta de votação da Ordem do Dia e aprovado por unanimidade. “Este é um requerimento verdadeiro representando o desejo da Casa. Parabenizo a atitude do Koiti”, reconheceu o presidente da Câmara, Gerson Constantino (PSD).

Há poucos dias, o prefeito Clóvis Volpi (PV) divulgou em nota que a estrutura da antiga rodoviária seria desmontada e que não havia interesse por parte da Municipalidade em realizar a doação do material para a Associação de Prevenção e Atendimento Especializado de Ribeirão Pires (APRAESPI). Questionado sobre um possível veto por parte do prefeito, Koiti garantiu: “Já falei com o prefeito. Ele se comprometeu em sancionar o projeto”.

Outras propostas – Nesta semana o mesmo vereador propôs, via PL, duas outras situações interessantes. A primeira sugere a alteração do nome da Avenida Brasil, que liga o centro ao bairro Santa Luzia para Avenida Prefeito Valdírio Prisco. “Ele foi o responsável pela construção da via e nada mais justo homenageá-lo com isso”, justificou.

As peças foram armazenadas no pátio da Secretaria de Serviços Urbanos

A segunda indicação sugere que a nova UPA, localizada no Hospital Santa Luzia seja nomeada como Prefeito Antônio Simões. “Este caso ainda será estudado, o local já foi nomeado recentemente e presta uma boa homenagem”, disse. Em agosto, a Câmara aprovou projeto do executivo batizando todo o equipamento como “Complexo Hospitalar Santa Luzia”. Entretanto, a UPA, mesmo sendo parte do todo, poderia ganhar um nome individualizado.

Importante – Nossa reportagem acompanhou a desmontagem e verificou o destino da sucata. Após cortar as peças com auxilio de maçarico, a empresa contratada transportou o material para o pátio do Serviços Urbanos da Prefeitura, armazenando as pelas em um canteiro. O transporte, feito de maneira irregular, colocou em risco a segurança de motoristas e pedestres. Além de não “prender” o material corretamente, que ficou, literalmente, caindo pelas laterais, o motorista quebrou a janela da guarita de entrada do Pátio após uma das peças se desprender e bater contra o vidro. Por sorte, não havia qualquer funcionário no local na hora do incidente.

Compartilhe