Integração de ônibus e aumento de passagem gera queixas de usuários

O ano de 2013 ainda está no começo, mas os munícipes já lutam por melhorias. Esta semana, o foco está no transporte público da cidade de Ribeirão Pires, que está está na mira integração de ônibus e aumento da passagem.

Passageiros são obrigados a esperar por até 1 hora na integração mesmo com o ônibus parado na plataforma

A integração foi implantada para facilitar a vida do usuário diminuindo o tempo que seria gasto, por exemplo, em filas de bilheteria ou em postos de recarga, outro fator é a economia que pode ser feita. Sendo assim, a proposta do sistema é trazer a rapidez e economia como vantagens.

Mas os munícipes têm outro ponto de vista. Diante de algumas reclamações, a reportagem do Jornal Mais Noticias foi até o terminal rodoviário em busca da opinião desses usuários. “Em questão de segundos perdemos a chance de embarcar na condução, isso acontece muitas vezes e o próximo ônibus acaba demorando. Mas sem dúvidas, a raiva maior é quando você chega na área da integração e avista seu o ônibus na plataforma. Se quiser pegar a condução, deve pagar novamente a passagem. Talvez a solução seria a utilização do cartão como forma de integração”, comenta Elisangela Santos.

Ao questionar sobre possíveis mudanças para melhoria do sistema, um dos munícipes sugere “acredito no sistema de roletas, assim como em Mauá. Desta forma as pessoas poderiam circular livremente pela rodoviária, e utilizar os banheiros ou até mesmo comprar algo para beber ou comer. Isso sem dúvida iria facilitar a vida das pessoas”, sugeri Eli José de Almeida.

Outro fator que é alvo de criticas é o aumento da tarifa de R$ 2,90 para R$ 3,30, o reajuste foi feito dia 26 de dezembro do ano passado o decreto foi assinado pelo então Prefeito Clóvis Volpi. “É simplesmente horrível ter que pagar mais caro por um sistema que é falho. A demora no ponto e a falta de organização da integração de ônibus me deixam bem nervosa”, Maria Rosana da conceição.

Integração por Cartão – Hoje, o sistema de ônibus da cidade faz uso do Cartão BOM (Bilhete Ônibus Metropolitano), que tem integração física com estações do Metrô e da CPTM em alguns pontos, com as estações Armênia, Brás e Barra Funda do Metrô e Mogi das Cruzes, Estudantes, Guaianazes e São Caetano, da CPTM, por exemplo. Boa parte dos usuários, contudo, cobra que o sistema municipal seja integrado ao sistema Bilhete Único, comandado pelo Estado, o que facilitaria a integração com o transporte ferroviário, principal meio de locomoção entre a cidade e a região metropolitana.

Respostas – Consultada, a Prefeitura afirmou que “a Secretaria de Transporte e Trânsito já estuda a viabilidade de ampliar o espaço de integração dentro da rodoviária, fechando-a para que o usuário tenha livre acesso aos sanitários, área de alimentação, bebedouros e maior segurança”.

Além disso, “caso haja a possibilidade, criar bilhete que possibilite a integração entre as linhas municipais, sem onerar o usuário. Entretanto, esta possibilidade ainda precisa ser negociada com a empresa concessionária, no caso a Rigras”.

O órgão ainda afirmou que “realiza contato com a empresa que presta serviço para que seja oferecido atendimento de melhor qualidade sempre”, o que envolve fiscalizar a qualidade no serviço, “o que inclui ônibus novos, seguros e com horários que sejam cumpridos”. Outra questão importante é a acessibilidade, “que será cobrada para ser tratada com toda a responsabilidade que requer”. A pasta ainda promete “melhorias para o transporte público que começarão a ser implantadas no decorrer do ano”.

Compartilhe