Indicadores de criminalidade continuam ruins na cidade

Pauta recorrente há vários meses nas páginas do Mais Notícias e de outras publicações, a insegurança volta à baila. Esta semana, foram divulgados os dados da criminalidade no estado referentes a janeiro e o índice é alarmante se comparado a anos anteriores.

Ribeirão Pires

Ribeirão Pires vive sentimento de insegurança

De acordo com dos dados, Ribeirão Pires teve aumento de 41,7% no índice de roubos e furtos a veículos em janeiro (51 casos), se comparado a 2013 (36). Detalhe: se considerarmos os dados de 2012, quando houve “apenas” 15 incidentes o índice de aumento sobe para incríveis 340%. Já quanto a homicídios dolosos, tivemos incremento de 1 (número de janeiro de 2012 e 2013) para 3 no mês passado, ou seja, aumento de 200%. O que alenta, de certa forma, é que o índice geral de furtos e roubos caiu 4,1% no período (122 em 2013 para 117 em 2014).

Com isso, é cada vez mais frequente testemunharmos ações criminosas que, não raro, espantam pela ousadia. Na manhã de ontem, no Centro Alto, um veículo foi roubado em frente à casa de sua proprietária. “Eu levei meu filho a escola e estava tomando café quando vi meu carro ser empurrado. Não tive tempo de fazer nada”, afirmou a vítima N.R. (nome omitido por questões de segurança). O que impressionou é no horário em que o fato ocorreu, por volta das 8h da manhã, há movimento intenso na região por ser horário de entrada e saída das unidades da Apraespi, que fica nas imediações. Vale ressaltar que o Centro Alto é uma região da cidade onde este tipo de crime acontece com certa frequência há algum tempo. “Fico revoltada com isso, esses ‘vagabundos’ acordam cedo para roubar, mas não têm disposição para trabalhar”, afirmou a munícipe FB, que também mora na região.

O vereador Eduardo Nogueira, que reside na região, explicou que está pleiteando “uma ação diferenciada da GCM, que poderia auxiliar no policiamento caminhando e fazendo rondas na região”. Para isso, ele tem mantido reuniões constantes com a Segurança Pública da cidade e também tem tentado viabilizar verbas para cidade. Além disso, ele também cobra a implantação do projeto “Vizinho Solidário”, sucesso em outros locais do estado e do país, na cidade. “Precisamos de uma ação mais efetiva no Centro Alto”, concluiu o edil.

Questionamos as autoridades a respeito de ações preventivas a fim de inibir estas práticas. A Prefeitura, apesar de esta questão ser de responsabilidade estadual, afirmou que “solicitou ao Estado a intensificação das ações das policias Civil e Militar na cidade, para reduzir os índices de criminalidade” e que, “por meio da Guarda Civil Municipal (…) apoia a PM e Polícia Civil em ações integradas, como é o caso das Operações Força Tarefa”. Além disso, está trabalhando em projeto para instalação de câmeras de vídeo monitoramento, e também procedeu no retorno da Base Móvel da GCM às ruas, após melhorias no veículo. “A unidade está sendo utilizada pela Guarda em rondas compartilhadas com a PM em bairros onde há mais índices de ocorrência, de acordo com o sistema de informações criminais da Secretaria de Segurança Pública do Estado”. Há também os projetos Turminha da Guarda, que promoverá palestras em escolas da cidade sobre questões como segurança no ambiente doméstico, malefícios das drogas, entre outros temas e também o Canil Municipal, que irá manter cães treinados para reforçar as ações da Guarda. A Polícia Militar não respondeu aos questionamentos até o fechamento desta edição.

Compartilhe