Gerson Constantino também deixará o PV

A Câmara de Ribeirão Pires não terá mais nenhuma representação do Partido Verde até o fim desta Legislatura. O vereador e presidente da Casa, Gerson Constantino, afirmou ao Mais Notícias, na tarde desta sexta-feira (26), que deixará a sigla e frisou: “Essa decisão não tem mais volta, nada me fará voltar”.

O destino será o PSD, partido criado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e que tem como o presidente municipal provisório, Koiti Takaki, que também assinará sua desfiliação do PV no início do próximo mês.

“Nada me fará voltar dessa decisão”, garante o vereador

Gerson segue a mesma linha de Saulo Benevides e Takaki: vai sair em busca de espaço. “Tenho aptidão muito grande ao crescimento, ao querer mais, mas não em benefício próprio, e sim da política, de ajudar a cidade. Fui procurar um espaço onde possa ir mais além e tenho que ir semeando para isso, um espaço maior, onde não seja cerceado”. Quando o parlamentar fala de cerceamento, refere-se aos comentários do prefeito Clóvis Volpi à imprensa regional, que o PV poderia não encabeçar uma chapa nas próximas eleições, ficando, talvez, com a vaga de vice. “O Seraphim (José Valentim Seraphim, presidente do PV de Ribeirão Pires) me deu a liberdade de costurar meu nome e há meses vinha lendo que o prefeito falou que o PV não tinha obrigação de lançar um nome para a disputa. Isso machuca, eu tinha que tomar uma atitude. Quem não gosta de ser valorizado?”, indaga.

Feliz com a decisão, o vereador Saulo Benevides, vê a atitude de Gerson com bons olhos. “Foi uma surpresa positiva, o Gerson é uma grande liderança. Sua saída do PV demonstra a incompetência da administração do PV perdendo mais um nome importante. O Gerson vem somar e reforçando o grupo”. Saulo ainda alfineta dizendo que enquanto a oposição se fortalece, o grupo do prefeito continua sem sequer um nome definido como pré-candidato.

Já Koiti mantém uma posição de cautela: “Tivemos uma boa conversa. O Gerson estava triste no PV, porém, antes de tudo, ele terá que resolver sua situação lá (em seu partido), mas o PSD está de portas completamente abertas para ele”.

Gerson disse que pretende assinar a desfiliação até terça-feira (30) e que irá ao PSD para apoiar o colega Saulo Benevides na corrida ao Paço. “Venho para compor o grupo de Saulo, ajudá-lo a somar, ter a oportunidade de oferecer à alguém em tudo que puder ajudar. Vou apoiá-lo”, falou, completando: “Não saio para fazer oposição ao Clóvis, mas sim para fazer mais trabalhos. Estava me sentindo sem liberdade para poder agregar e, para não atrapalhar, tomei a decisão de sair”.

Após falar com Gerson, a reportagem do Mais Notícias entrou em contato com o presidente do diretório municipal, Seraphim, que afirmou não estar sabendo da saída do vereador do partido. Ele disse que uma reunião com o parlamentar estava marcada para o fim desta tarde (26) e que não se pronunciaria sobre isso, enquanto não fosse confirmado pelo próprio Gerson.

Compartilhe