Fundo Social encerra atividades com balanço da gestão

Na última sexta-feira, a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Lígia Volpi, primeira dama de Ribeirão Pires, reuniu funcionários, presidentes de entidades, amigos e colaboradores para prestação de contras de sua gestão à frente do Fundo. Durante o encontro ela aproveitou para divulgar o resultado da arrecadação de notas fiscais que atingiu marca superior a R$ 10 milhões.

Lígia Volpi homenageou “colaboradores sociais”

Com a campanha de doação de cupons fiscais promovida pela Secretaria de Promoção Social em parceria com o Fundo Social de Solidariedade, as 14 entidades beneficentes de Ribeirão Pires inscritas no programa estadual Nota Fiscal Paulista poderão receber, cada uma, até 30% dos impostos incidentes sobre os valores dos cupons arrecadados.

Durante o encontro, o secretário de Promoção Social, Eduardo Nogueira, falou sobre a evolução da campanha no Município. “Quando a campanha teve início, em dezembro de 2009, foram arrecadados 20 mil reais em cupons. Em 2010, atingimos a meta de 2 milhões e agora a meta de 10 milhões foi batida. Graças aos comerciantes, à mídia local, aos parceiros e, principalmente, à população, conseguimos”, afirmou.

Antônio Carlos Carvalho, o Gazeta, diretor do jornal Mais Notícias, foi laureado por colaborar ativamente na campanha das notas. “Não sou digno dessa homenagem, todos temos o dever de ajudar sem precisar de láureas. O que fizemos foi apenas o que foi proposto, levantando notas e deixando uma pessoa responsável por registrar os tickets”, disse. Gazeta foi presidente da ARIS (Associação Ribeirãopirense para Integração Social) quando a campanha foi iniciada e sob seu comando a entidade foi a que mais arrecadou cupons.

Além disso, o Fundo Social arrecadou, apenas esse ano, 57.862 quilos de alimentos. “Começamos sem teto e sem nada e deixaremos o Fundo com uma casa própria, um veículo e um galpão com alimentos estocados”, reconheceu a presidente. Lígia fez questão de homenagear cada parceiro que colaborou com o serviço social na cidade.

Eduardo Nogueira, por sua vez, destacou o trabalho voluntário das entidades e sugeriu campanhas para que os jovens se sensibilizem para esse tipo de serviço comunitário. “Hoje fazemos as coisas que amamos, mas ainda faltam muitos voluntários, em especial os mais jovens”, disse.

Compartilhe