Fazer compras do mês em Ribeirão está mais em conta

Com a chegada do fim do mês, famílias de todo o Brasil fazem a famosa lista de compras, com os itens importantes que não devem faltar na dispensa. Em Ribeirão a única diferença é que os munícipes, não raro, saem daqui para fazer sua compra do mês, a popular “despesa” em outras cidades, acreditando que os preços são menores.

Em fevereiro, o Jornal Mais Notícias fez um levantamento que comprovou que, naquele momento, era mais caro fazer as compras do mês em Ribeirão Pires, considerando-se uma determinada gama de produtos. Mas e agora, será que a situação permanece a mesma?

Considerando-se o mês de setembro, o preço da cesta básica aumentou no Grande ABC pela segunda semana consecutiva, segundo levantamento feito pela Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André), na ordem de 0,99%. O percentual é baixo, mas o custo para o bolso do consumidor registrou acréscimo global de R$ 4,09, em comparação com a pesquisa anterior, subindo de R$ 411,94 para R$ 416,03, na média das cidades analisadas (Diadema, Mauá, São Bernardo, São Caetano, Santo André e Ribeirão Pires).

Na variação semanal, dos 34 produtos pesquisados, 19 registraram alta, enquanto 14 apresentaram queda, sendo que um produto não sofreu alteração. “O que surpreendeu esta semana foi à alta no preço do quilo do frango inteiro resfriado (13,16%), que passou a custar, em média, R$ 4,90 o quilo”, explica Fábio Vezza de Benedetto, engenheiro agrônomo da Craisa. Os destaques foram a queda do preço da cebola, de 19,35% em média e do leite integral, que teve seus preços reduzidos em 1,13%, com o litro custando R$ 2,63 nos supermercados da região em média.

Isso posto, a pesquisa realizada entre os dias 2 e 8 de setembro, mostrou que os preços de Ribeirão Pires, se comparados com os dos mercados da região estão dentro da média. Na Coop de Ribeirão Pires, uma cesta básica com 34 itens em quantidade suficiente para uma família de quatro pessoas custou R$ 392,04, enquanto no Extra a mesma custou R$ 422,11. Já na cidade de Mauá o mercado Baronesa, conhecido por ter preços baixos, comercializou a mesma cesta básica a R$ 387,31, enquanto a Coop de Mauá cobrou R$ 391,39. Se formos para Santo André, a Coop da Rua Queirós dos Santos cobrou R$ 418,27, enquanto o Extra Ipiranguinha cobrou R$ 404,47. Ou seja: com a diferença, hoje, comprar fora de Ribeirão Pires talvez não compense a viagem.

Veja a tabela comparativa (versão editada para ilustração da matéria – clique para ampliar):

Faça o download da versão completa, com explicação da metodologia clicando aqui.

Compartilhe