Famílias são retiradas de áreas de risco no Parque Aliança

A manhã da última quarta-feira foi movimentada para os moradores do bairro Parque Aliança, tudo porque a Prefeitura fez a interdição de algumas moradias no Morro do Careca, área que faz divisa com a cidade de Mauá e que foi declarada de risco pela Defesa Civil.

site

Local corre riscos de deslizamento

As moradias foram demolidas e estavam em área de ocupação irregular. A ação foi executada pela Defesa Civil com o envolvimento das secretarias de SADS (Assistência e Desenvolvimento Social), SSH (Saúde e Higiene), SAEP (Assuntos Estratégicos, Planejamento Urbano), SEPHAMA (Habitação, Meio Ambiente e Saneamento Básico) e SIU (Infraestrutura Urbana).

Três famílias e quatro pessoas sem vínculo familiar foram encaminhadas ao abrigo municipal, no Parque Aliança, que foi dividido em residências unifamiliares. As demais sete famílias foram encaminhadas para residências locadas com o benefício do auxílio aluguel e estão providenciando a entrega da documentação necessária para a execução do pagamento.

A ação da Defesa Civil teve como base o relatório final do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT), desenvolvido através do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que mapeou as áreas de risco da Estância e resultou em convênios com os demais municípios da região com os governos Estadual e Federal para as intervenções necessárias.

Foram contabilizadas 2.633 moradias em áreas de risco de Ribeirão Pires, sendo 25 classificadas como R1 (risco baixo), 1714 como R2 (risco médio), 861 como R3 (risco alto) e 33 como R4 (risco muito alto).

As famílias passam a ser incluídas no Cadastro de Serviço de Proteção em Situação de Calamidade Pública e de Emergências, no quesito de Remoções de Áreas Consideradas de Risco por Prevenção ou Determinação do Poder Judiciário a Famílias ou Indivíduos, conforme Tipificação Nacional de Serviços Sócio Assistenciais. Com esse cadastro é possível conceder o benefício eventual Bolsa Aluguel Social.

Compartilhe