Evete Sawada: uma das protagonistas do Festival do Chocolate

A partir de amanhã (29) até o dia 14 de agosto, Ribeirão Pires estará em plena agitação, mas repleta de doçura, com a 7ª edição do Festival do Chocolate, considerado a maior festa cultural e gastronômica do Estado de São Paulo. Bombons, tortas, fondue, é o chocolate sendo apresentado – e apreciado – nas suas mais variadas formas. Mas esse alimento tão adorado pela maioria das pessoas não protagoniza o festival sozinho. As chocolateiras, integrantes da Associação das Chocolateiras de Ribeirão Pires, são “a cereja do bolo”. À frente de grupo, composto por sete pessoas, está Evete Haruhi Sawada, 54 anos, presidente da entidade.

Evete Sawada é presidente da Associação das Chocolateiras de Ribeirão Pires

Filha de japoneses, Evete nasceu em Mandaguaçu, no Paraná e chegou a Ribeirão Pires com os pais, que vieram trabalhar no município, aos dois anos de idade.

Bancária aposentada, surgiu em 2005, com o nascimento do Festival do Chocolate, a oportunidade de trabalhar com a iguaria. Três anos depois, com o sucesso da festa consolidado, houve a necessidade de capacitação das transformadoras de chocolate. Com o apoio da ACIARP (Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Ribeirão Pires), SEBRAE e Prefeitura Municipal, nascia, então, a Associação presidida por Evete, cuja sede funciona na Associação Comercial.

Durante as três semanas da festa, a correria das chocolateiras para levar aos moradores e visitantes os melhores produtos é total. Evete conta como é sua maratona nesse período. “Meu dia-a-dia é muito prazeroso, corrido e estressante. Durmo pouco, me alimento pouco e trabalho muito. É um alto investimento e preciso planejar para que tudo corra bem durante os nove dias”. E é preciso correr muito mesmo: Esse ano, cada chocolateira utilizará, aproximadamente, 500 quilos de chocolate para satisfazer os consumidores.

No Festival, o chalé de Evete comercializa fondue no potinho – “aliás, o melhor fondue do mundo -, acrescenta ela.

Quando a festa acaba, cada transformador de chocolate desenvolve o seu trabalho individualmente. Evete, por exemplo, produz doces para festas e casamentos. Atualmente, um grupo de chocolateiras comercializa, em conjunto, produtos específicos para datas comemorativas, como Páscoa, Dia das Mães e Dia dos Namorados, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda. Interessados em fazer parte da Associação, podem obter informações entrando em contato com a ACIARP, pelo telefone (11) 2595-0200.

Chocolate, sinônimo de felicidade – Assim como acontece com as outras chocolateiras, o chocolate vai sendo moldado pelas mãos de Evete e criações de encher os olhos surgem, assim como o desejo de degustar cada criação, difícil de controlar. “Trabalhar com chocolate é muito bom, prazeroso, porque vão surgindo doces lindos e saborosos, obras de arte, tudo de bom! É complicado ficar sem comer doces”. Ela lista as razões pelas quais essa doce iguaria é tão irresistível: “O chocolate nos traz felicidade; veja quando alguém está saboreando um chocolate, olhe a carinha das pessoas, todas sorriem, ficam felizes. Por ser vegetal, a gordura da manteiga de cacau não contém colesterol. O chocolate libera endorfinas, podendo estimular o apetite sexual e causar sensações de prazer e bem estar. Contêm estimulantes, como a cafeína, gerando um efeito energético, colaborando na concentração e na capacidade física de quem consome. E é antioxidante, isto é, retarda as rugas”, fala aos risos, completando: “Convido à todos visitarem o Festival do Chocolate, que está repaginado, com novo visual, novo formato, sob o comando da SEJEL (Secretaria de Juventude, Esporte, Lazer, Cultura e Turismo) e gratuidade no acesso à área de alimentação, para saborear as delícias de nossas artistas chocolateiras. Aproveitem, porque tem produtos que só são comercializados durante o Festival, depois, só no ano que vem!”.

Diante de todos esses argumentos, fica difícil resistir ao convite, não?

Compartilhe