Esgoto a céu aberto causa transtornos em Ribeirão e Rio Grande

Os moradores da Rua Santinho Gianasi, na Santa Luzia, há mais de três meses estão sendo obrigados a conviver com um grave (e mau cheiroso) problema: esgoto à céu aberto correndo no meio da rua.

Em visita ao local, que fica em frente ao Namba’s Bar, ao lado do número 246, há um terreno baldio e, em meio ao mato, um tubo de esgoto que despeja os detritos a mais ou menos um metro de distância do meio-fio. A água fétida escorre e cai na rua, deixando um odor insuportável. “Quando chove, essa água entra nas casas. Sem contar os ratos enormes e insetos, como moscas azuis, por exemplo”, explica Nambu, proprietário do bar próximo.

Segundo ele, os munícipes aguardam por uma solução há mais de noventa dias, sem sucesso. A Sabesp foi acionada, mas afirmou que nada poderia fazer já que o terreno é particular.

Em contato, a Prefeitura afirmou que “a Coordenadoria da Defesa Civil de Ribeirão Pires já havia acionado a Secretaria de Infraestrutura Urbana, que procederá com a vistoria da referida área para identificar a origem do esgoto e, posteriormente, tomar as medidas necessárias”.

Rio Grande – Em Rio Grande da Serra, o problema é na Rua José Bello. Segundo o leitor José Soares, “O esgoto em questão esta vazando há um bom tempo em plena Avenida José Bello comprometendo as águas dos córregos próximos, bem como a saúde das pessoas que moram no local”.

O mais grave é que, quando o reparo é efetuado, não é a contento. Soares relata que, na mesma avenida, houve um vazamento de água, mas a Sabesp “deixou a cratera aberta e, como há deficiência de iluminação na rua, coloca em risco de acidentes os motoristas que trafegam pelo local, bem como transeuntes e crianças”.

Contatada, a Prefeitura de Rio Grande da Serra afirmou que “os problemas citados são de competência das concessionárias Sabesp e AES Eletropaulo, porém a administração municipal entrará em contato com as empresas para as devidas providências”.

Compartilhe