Em dez meses, mortes na Estrada do Sapopemba quadruplicam no trecho de Ribeirão

O número de óbitos na estrada do Sapopemba, no trecho que corta a cidade de Ribeirão Pires, nos dez primeiros meses de 2017, é mais que o quádruplo em relação ao ano passado inteiro. O levantamento de dados solicitado pelo Mais Notícias junto ao InfoSiga, órgão oficial do Governo Estadual responsável pelo registro de mortes nas estradas, aponta um total de duas mortes em todo o ano de 2016. Porém, nos dez primeiros meses de 2017, o número já salta para nove.

Trecho que corta Ribeirão Pires é o que tem maior registro de óbitos

Comandante regional da Polícia Militar Rodoviária da Grande São Paulo, Capitão André Nogueira disse que sua equipe trabalha arduamente para que as ocorrências sejam atendidas o mais rápido possível. “Tenho malha viária de 520 km que engloba as rodovias Ayrton Senna, Mogi-Bertioga, o trecho Leste do Rodoanel e a Dom Pedro I. É uma área muito grande, mas procuramos distribuir da melhor forma o número de efetivos”, comentou.

Por sua vez, o vereador João Lessa (PSDB) considera que o aumento dos acidentes com mortes na região é resultado da imprudência dos motoristas e que é necessário conscientização para a diminuição dos casos. “O mais importante é conscientizar os condutores para que eles tenham responsabilidade e respeitem a sinalização e ao próximo. O dia em que isso acontecer, os acidentes vão diminuir.”

O levantamento ainda aponta que, nos demais trechos, em 2016, foram registrados seis mortes. Em 2017, o número é de 15 óbitos até o mês de julho. Ou seja, houve um aumento de 150%.

Compartilhe