Elas são maioria no trabalho voluntário

A mulher tem como características a sensibilidade e o instinto maternal, de cuidar dos outros, proteger. Talvez esses sejam alguns dos motivos que marcam a presença feminina no voluntariado. Pesquisa da Rede Brasil Voluntário, realizada pelo IBOPE Inteligência, mostrou que um em cada quatro brasileiros com mais de 16 anos – cerca de 35 milhões de pessoas – faz ou já fez algum trabalho voluntário. Dos que atualmente realizam alguma ação de voluntariado, 53% são mulheres e 47% homens, com uma média de idade de 39 anos.

Angélica: “Ser um voluntário é viver momentos simples, mas mágicos”

Angélica de Moraes Dias, 34 anos, é uma dessas mulheres. Ao chegar a Ribeirão Pires em julho deste ano, por conta da Organização Social de Saúde Pública (OSSPUB), que administra o setor na cidade e tem como projeto a entrega de enxovais para os recém-nascidos carentes do Hospital São Lucas, Angélica não perdeu tempo: quis logo por em prática um trabalho social mais amplo, como já fizera em São Bernardo do Campo. “Em conversa com Lygia Catarine, hoje uma voluntária, comecei a falar para ela todo o trabalho social que já fazia em São Bernardo. Ela me apoiou a fazer um trabalho em Ribeirão. Criamos uma página no Facebook para divulgar a nossa ideia e começamos a cadastrar as entidades carentes para saber quantas pessoas poderíamos ajudar”, conta. Nascia ali, o CERVIRES – Centro de Voluntariado de Ribeirão Pires.

Atualmente, o CERVIRES conta com 80 voluntários e 1021 amigos no Facebook, lista que cresce a cada dia, em uma corrente de amor ao próximo. Mesmo com pouco tempo de existência, o Centro já ajudou mais de 900 crianças e adolescentes, com ações de entregas de cestas básicas e eventos para celebrar datas especiais, como o Dia das Crianças e o Natal. “Para 2012 estamos para por em prática vários projetos, como ‘O Meu Primeiro Emprego’; Inclusão Digital; e orientação com psicólogas para mães com menos de 18 anos”, planeja Angélica.

Quem recebe o apoio de um voluntário sabe que está ganhando alguma coisa, mas não imagina que quem está por trás desse ato, também tem um enorme ganho. “O trabalho voluntário me formou, colaborou muito na construção do meu caráter. Vejo a vida e as coisas simples com outros olhos. Gosto de ajudar, de fazer o bem e me sinto extremamente feliz quando ajudo alguém ou uma causa”, fala Lygia Catarine.

“Ser um voluntário é doar a melhor parte de nós, é viver momentos simples, mas mágicos. A pessoa que vive um momento como voluntário volta sempre, pois quando tudo acaba, mesmo sendo muito cansativo, a alma se sente glorificada”, completa Angélica. “Aproveito para convidar a todos a provar esta sensação maravilhosa”, acrescenta.

Ser um voluntário – Para atuar no trabalho voluntário desenvolvido pelo CERVIRES, basta acessar o site www.cervires.com.br e se cadastrar.

Mais de 600 crianças foram presenteadas neste Natal pelos voluntários do CERVIRES

Compartilhe