Eduardo Nogueira: “estamos colocando a casa em ordem”

Estamos chegando ao fim do primeiro ano da gestão de Kiko Teixeira em Ribeirão Pires. Desta forma, o Mais Notícias começa, nesta edição, a fazer um balanço da Administração e de algumas de suas secretarias. A primeira a ser analisada é a Secretaria de Gestão e Planejamento Administrativo, comandada por Eduardo Nogueira que, na gestão passada, assumiu o posto de vereador deixado por Mercedes D’Orto na Câmara Municipal após sua morte.

Eduardo: “Estamos colocando a casa em ordem” gradativamente”

Para quem não sabe, a Pasta de Nogueira é responsável por dar suporte às demais secretarias, entre outras atribuições. “Ajudamos as demais Pastas em suas respectivas administrações, bem como em problemas que fogem da alçada do secretário. Também damos sugestões e mostramos possíveis alterações para fazer a máquina girar, tudo o mais transparente possível e sem interferir diretamente nas secretarias e nas decisões dos secretários. O Prefeito tem muitas obrigações e temos que ser seu para-choque”, diz.

O secretário também explica como funciona sua conversa com o Legislativo. “Somos responsáveis pela ligação do Executivo com o Legislativo e fazemos as explicações técnicas dos Projetos enviados à Câmara para saberem o que estão votando. Enquanto estive vereador era complicado, pois muitos Projetos chegavam no meio da Sessão. Hoje, tenho reuniões semanais com os vereadores e, se for algo mais técnico, levo o secretário responsável para explicar.” Eduardo ainda explana que recebe solicitações de munícipes, empresários e entidades. “A carga é meio grande, pois muita coisa veio da outra Administração, da qual não gosto de falar, pois isto é passado. Temos que colocar a casa em ordem e estamos conseguindo isso gradativamente”, comemora.

Situação atual

O governo de Kiko Teixeira herdou dívida de R$ 223 mi entre valores empenhados e acordos que não foram pagos. “A receita desse ano não cresceu, mas se manteve igual à do ano passado. Conseguimos pagar R$ 20 mi e conseguimos parcelar o desconto da Previdência em folha dos funcionários públicos. Valores estes que a gestão anterior descontava e não repassava”, conta o secretário de Gestão e Planejamento. Nogueira também agradeceu aos vereadores por “estarem nos ajudando”.

Planejamento e 2018

Nogueira detalhou os próximos passos da Prefeitura para reerguer a cidade. “Nosso planejamento é que a dívida não aumente, sempre com os pés no chão e de acordo com a realidade do município. Ano que vem também será difícil para a cidade. Temos que procurar empresas que venham para cá e gerem emprego e renda. Acredito que em 2019 a cidade vai começar a sair dessa situação”, completa.

Além da busca por empresas, Eduardo afirma que a Prefeitura está estudando a planta genérica da cidade e a possibilidade de remanejar o valor pago de IPTU por moradores do Centro e dos bairros mais afastados. “É tudo questão de justiça social. Quem está no bairro pode pagar menos, pois, quem está no Centro tem menos custo. Também estamos levantando o número de funcionários afastados. Queremos dar amparo a eles, mas também vemos o lado da Prefeitura”, diz o ex-vereador, que encerra: “A cidade ficou estagnada por quatro anos e queremos retomar o crescimento. Acho que todos têm que se juntar para a cidade caminhar.

Compartilhe