E o Dia das Bruxas veio à cavalo…

No dia 31 de outubro é celebrado o Halloween, o Dia das Bruxas, tradição de origem celta que marca o fim do verão no Hemisfério Norte, que é celebrado para proteger as almas vivas do ímpeto das mortas que procuram corpos vivos para possuir no ano seguinte.

Para isso, vem a brincadeira do Trick Or Treat, Brincadeira ou Travessura, onde as crianças, fantasiadas como monstros, trocam doces pela “paz” aos vizinhos. Aqui no Brasil, a tradição é mais recente e é mais focada no “terror” que nos jogos infantis. Falando nisso, o clima entre os meios políticos é assustador.

Seja com o recém-criado fantasma das ONGs, que, supostamente, tem sido instrumentos de desvio de verbas, seja nas movimentações de bastidores, há motivos mais do que contundentes para tirar o sono das lideranças da região. Tomemos, por exemplo, o caso de Ribeirão Pires. Nesta semana, chegou a público o adiamento da tão esperada decisão sobre quem receberá a “bênção” do prefeito Clóvis Volpi nas próximas eleições.

Originalmente, o anúncio seria feito em ato político agendado para o salão nobre do Ribeirão Pires F.C., mas os fatos recentes que, diga-se de passagem, passam por uma ONG, fizeram com que a indicação governista fosse procrastinada – e por tempo indeterminado.

Isso alimenta outro fantasma, o da explosão – ou implosão, dependendo do ponto de vista. Cada vez mais, há “candidatos a candidato” dos governistas que sonham com um vôo solo e esse, certamente, é um cenário sobremaneira adocicado para outro grupo, que neste momento assiste a tudo de camarote: o do PT, da pré-candidata Maria Inês, que sonha com um retorno triunfal ao Paço Municipal. Isso sim seria um extenso Halloween para todos da situação.

Compartilhe