Disputa pelo PHS deverá ser decidida na justiça

A militância do PHS, partido que vem sofrendo uma séria disputa interna para permanecer no grupo de apoio ao pré-candidato a prefeito, Saulo Benevides (PMDB), se reuniu para expor a atual situação dos filiados após o presidente estadual, Tinha Di Ferreira, declarar que a determinação da legenda é apoiar o PPS nas cidades em que este partido tiver candidato majoritário. Como em Ribeirão o PPS é o partido do Dedé da Folha, integrantes do PHS anunciaram debandada em massa e acusaram a executiva estadual de estragar um trabalho político criado ao longo de anos.

Babi reafirma compromisso com o grupo de Saulo Benevides e ressalta sentimento de traição

Fábio Cesário da Silva, o Babi, presidente municipal do PHS disse que se sente traído com a situação imposta pela liderança estadual. “O Tinha disse que precisávamos nos comprometer com o PPS do Dedé. Os integrantes do partido pediram desfiliação e saíram da campanha”, revelou. Dos 20 pré-candidatos que a sigla possuía, 16 deixaram o partido por não aceitarem a mudança.

Um dos pré-candidatos a vereador, Rodrigo Silva, comentou que o comando do partido entrou em um jogo perigoso ao ‘negociar a sigla’. “O sentimento que tenho agora é de frustração. Acreditamos em uma mudança na política, mas não dá pra ficar com toda essa politicagem. Temos um compromisso com o Saulo e vamos cumprir”, abordou o professo Rodrigo.

Babi apresenta outro agravante: “Eles estão matando o partido na cidade. Não sei qual foi o acordo, só sei que trabalhamos por dois anos para estruturar um grupo coeso. Eu percebi que o Tinha não está preocupado com os candidatos que nós temos. Quero ver ele ter coragem de destituir o partido. Hoje o PHS tem um presidente (Babi) e esse presidente está com o Saulo”.

Segundo os membros do diretório municipal, a briga pela autonomia do partido se estenderá para o campo judicial, pois pretendem levar o caso adiante. Uma saída é a exclusão de Dedé da corrida pela prefeitura por conta de o pré-candidato ser um ‘Ficha Suja’. Caso Dedé deixe de ser candidato, a interferência estadual do PHS também deixa de existir.

Compartilhe