Deusdete Vasconcellos se despede de seu mestre Antônio Carollo

O último dia 18 de fevereiro foi de luto para o boxe brasileiro que perdeu um de seus maiores incentivadores, o treinador Antonio Ângelo Carollo, que faleceu aos 87 anos de idade após sofrer um mal súbito enquanto nadava em sua piscina, em Pereiras, no interior de São Paulo.

Carollo, lenda do boxe brasileiro, treinou Deusdete nos anos 70

Carollo, como era chamado carinhosamente por seus pupilos, esteve presente a nada menos do que cinco olimpíadas, em 1968 (México), 1972 (Munique), 1976 (Montreal), 1980 (Moscou) e 1992 (Barcelona), sendo o técnico que mais levou atletas brasileiros aos Jogos Olímpicos, deixando um importante legado não só para a Nobre Arte, mas também para o esporte brasileiro.

Um deles é o ex-pugilista de peso galo Deusdete Vasconcellos, de 65 anos, que falou sobre o fato ao Mais Notícias: “ele arrumou trabalho e condições de treinamento. Em troca, lhe davam títulos”. E não foram poucos. O próprio Vasconcellos, que é morador e comerciante em Ribeirão Pires foi três vezes campeão sulamericano nos anos 70 e, de quebra, ainda foi para os Jogos Olímpicos de 1972, na Alemanha. “É uma perda irreparável”, ressaltou.

Mais do que isso, Carollo teve parte fundamental em sua vida: “ele me arrumou um emprego na Pirelli, onde eu pude conciliar o trabalho e os treinamentos”. À época, a empresa mantinha, em Santo André, um dos clubes mais poderosos do Brasil, em diversas modalidades, com destaque justamente para o boxe e o vôlei, modalidades em que conquistou até mesmo títulos mundiais.

Ele concluiu externando seus sentimentos em relação a ele: “Carollo foi um verdadeiro pai para todos os atletas, inclusive eu”.

Compartilhe