Cônsul do Japão visita Ribeirão Pires

Kazuaki Obe, Cônsul Geral do Japão, esteve ontem em Ribeirão Pires e manteve uma conversa amigável com o prefeito Clóvis Volpi (PV). O encontro se deu no gabinete do prefeito, onde Obe e sua esposa receberam mimos do prefeito enquanto dialogavam sobre diversos assuntos.

A visita do Cônsul homenageou a colônia japonesa, que tem grande representação na cidade

A pauta da conversa girou em torno da qualidade de vida registrada em Ribeirão Pires, a preservação ambiental na cidade com uma legislação própria, esportes (no momento do encontro o Santos F.C. vencia o Kashiwa por 3X1), evolução da política nacional, características do povo e tradições, onde o prefeito aproveitou para fazer uma explicação sobre o Festival do Chocolate e presentear o cônsul com uma cesta de chocolates.

O homenageado enalteceu as qualidades de Ribeirão Pires. “Fiquei impressionado com a organização desta cidade, que é muito bonita, a natureza é viva e me surpreendeu”, comentou o Cônsul. Durante o encontro, o visitante recebeu uma réplica de escultura do artista plástico Lucio Bittencourt, que fará mais uma obra na cidade, desta vez, uma versão da bandeira do Japão com 3m de altura para adornar o Jardim Japonês no Paço Municipal. A obra irá compor o acervo do Museu a Céu Aberto, que expõe obras de arte em diversos pontos da cidade, como a Vila do Doce e a Praça Central.

Além da nova escultura, o jardim recebeu o plantio da árvore tradicional do Japão, a cerejeira. “Plantamos três cerejeiras porque é um símbolo do Japão. Estamos investindo R$ 200 mil com a revitalização do Jardim Oriental visando à atração turística”, declarou Volpi. As árvores têm 60 anos cada uma e medem seis metros de altura aproximadamente. Para o prefeito, a revitalização do espaço é importante não apenas para a colônia japonesa, mas para a população como um todo. “O local e um importante ponto turístico muito utilizado por noivos para fotografias de casamentos”, lembrou o anfitrião.

Ribeirão Pires foi a 92ª cidade visitada pelo Cônsul após sua chegada ao Brasil há três anos.

Compartilhe