Concorrência reduz valores do pedágio eletrônico em SP

O Governo do Estado promoveu a abertura do mercado de serviços de pagamento eletrônico de pedágio no Estado de São Paulo e, com a entrada da DBTrans, nova operadora que oferecerá os serviços Auto Expresso, Auto Expresso Livre e Rodocred, a concorrência pelo público que, até então tinha apenas o Sem Parar, da Holding STP como opção de serviço, se iniciou com boas novidades para os motoristas.

A concorrência favoreceu o bolso do motorista

De cara, a segunda delas, temendo perder clientes, extinguiu a taxa de adesão e reduziu sensivelmente a mensalidade, além de criar a modalidade de pagamento pré-pago, uma forma de se adequar ao plano da concorrência. Com isso, o usuário do Sem Parar, que até então pagava R$ 66,72 de taxa de adesão e mensalidades entre R$ 11,90 e R$ 15,76, poderá aderir ao serviço gratuitamente e pagar apenas R$ 8 de mensalidade, além de isenção na taxa de transferência de tag (o aparelho que faz a contabilidade da passagem nos pedágios) entre veículos. No caso do plano pré pago, a recarga mínima será de R$ 25 (com R$ 4 de taxa de serviço).

No caso da DBTrans, serão oferecidos os três planos já citados, sendo que em todos, seja pós ou pré-pago, haverá taxa de adesão no valor de R$ 57,12. Já a mensalidade, no caso do pós, é de R$ 6. No caso do Rodocred, trata-se de uma espécie de Vale Pedágio eletrônico. O serviço será comercializado em até 90 dias.

Segundo a ARTESP, a Agência Reguladora de Transportes de São Paulo, devem chegar mais operadoras nos próximos meses, o que deve reduzir os valores ainda mais.

Compartilhe