Comerciantes cobram solução para pichações no Centro

Quem passa pelas ruas de Ribeirão Pires percebe como estão as fachadas de prédios, casas e principalmente do comércio, totalmente pichadas a despeito dos inúmeros esforços para manter o asseio. Isso acontece há anos mais somente do começo do ano para cá a situação esta piorando.

Fachada é limpa após ação de criminosos

“As ruas estão abandonadas” foi a primeira frase que ouvimos dos comerciantes de Ribeirão Pires. Esta semana mais uma loja foi alvo dos pichadores, que deixaram suas “escritas” na recém-inaugurada fachada de uma loja no Centro Novo.

Apenas dois dias após sua abertura, a nova loja de roupas Armardio já apresentam marcas do vandalismo que deixa a cidade preocupada. “A cidade inteira esta pichada e isso é um descaso com a população. Nós comerciantes estamos organizando um abaixo assassinado para a Prefeitura tomar uma providência. Nós investimos na cidade, mas não temos assistência”, disse o gerente da loja, inconformado.

Outra comerciante que pediu para ter sua identidade preservada foi alvo de pichações nesta semana. “Minhas câmaras de segurança flagraram ação desses vândalos. O mais incrível é que nem sendo filmados, eles se sentem inibidos. Precisamos de uma base móvel aqui na rua”.

Outro comerciante da rua também manifestou seu descontentamento: “de dois anos para cá a coisa piorou. Nossa porta já foi limpa várias vezes e da última, tiveram a coragem de escrever ‘por favor não limpem’, isso é um descaso com nós comerciantes que tentamos ajudar a cidade” disse um funcionário da Top Malhas.

Um dos comércios mais antigos da cidade também sofre com esse problema: “Tenho minha locadora há 20 anos e de dois anos pra cá a pichação esta constante, a gente pinta em um dia e no outro já está pichado eu já desisti de pintar e lavar minha fachada”, contou José Carlos, gerente da Scalla Vídeo.

Drogas também assustam

As reclamações não são somente por conta da pichação. “Estou organizando um abaixo assinado pela instalação de uma base policial fixa nesta rua. O dia inteiro, o consumo de drogas é grande na rua. Durante a noite, até parece uma cidade sem lei, onde carros passam contra mão e o som fica alto sem respeitar a lei do silêncio. Estamos tentando agendar uma reunião com urgência com a Secretaria de Segurança e de Secretaria de Desenvolvimento Econômico para juntos tentarmos resolver uma solução para esse problema”, ressaltou Donizete, do Braseiro da Estância.

Em resposta a Secretaria de Segurança Pública de Ribeirão Pires informou que está reforçando a fiscalização. “Desde o início do ano, as rondas da Guarda Civil Municipal pela cidade, inclusive nas regiões de comércio. Essas rondas também têm por objetivo coibir a ação de pichadores”. Já a prefeitura informou que estuda a implantação de sistema de videomonitoramento que irá auxiliar nas ações de segurança integradas entre GCM, PM e Polícia Civil.

É importante ressaltar que “Pichação é crime”. Esta expressão, ao lado de “proibida a venda para menores de 18 anos” é obrigatória por lei em todas as latas de tinta aerossol, vulgo tinta spray, vendidas em todo o território nacional de acordo com a Lei Federal 12.408, de 25 de maio de 2011. Também conhecida como “Lei do Grafite”, ela descriminalizou a arte de rua conhecida como grafite e endureceu o cerco contra os pichadores.

Compartilhe