Colégio Felício Laurito – 60 anos de história

 

“Conhece-te a ti mesmo”. A notória frase de Sócrates define bem o sentido da escola para um ser humano. É algo muito maior do que quatro paredes sob um teto. É onde se aprende a pensar, a conviver, a amar ao próximo, a si e ao ambiente onde vive.

A primeira turma de formandos do colégio, que contou com nomes como Roberto Botacin, Raul Zampol, Celso Gonçalves e Odani de Lima

A primeira turma de formandos do colégio, que contou com nomes como Roberto Botacin, Raul Zampol, Celso Gonçalves e Odani de Lima

Por conta disso, quando ficamos mais velhos, lembramos como saudade do tempo de jovem estudante sonhando em colaborar, ainda que de maneira discreta, para a construção de um mundo melhor.

Especialmente em cidades menores como a nossa, a escola exerce um papel muito maior, com um papel central na vida de boa parte da população. Dentre estas, está o hoje sexagenário Felício Laurito, a mais tradicional escola da cidade.

Lá foi (e continua sendo), casa de muitos dos que fizeram e fazem a história da cidade. Médicos, donas de casa, empresários, metalúrgicos… seja qual for a profissão, o Felício Laurito foi a casa que, não é exagero dizer, formou Ribeirão Pires.

Esta história começa oficialmente no dia 5 de fevereiro de 1957, quando um decreto assinado pelo então governador Jânio Quadros autorizou a criação de 13 ginásios estaduais, sendo 10 na Capital, incluindo aí o de Ribeirão Pires, que foi instalado oficialmente no dia 8 de fevereiro de 1957, um dia depois da publicação no Diário Oficial do Estado. Naquela sexta-feira, foram abertas inscrições para o Exame de Admissão no mesmo prédio onde então funcionava o Grupo Escolar Dom José Gaspar, na Rua Jorge Tibiriçá, 02 (atual Ruth Neves Sant’anna).

A priori, era uma seção do Colégio Estadual e Escola Normal Dr. Américo Brasiliense, de Santo André (ainda em funcionamento). O primeiro diretor, foi o Dr. Carlos Galante, então professor de matemática do Colégio Estadual Dr. Bonifácio de Carvalho, de São Caetano. Em outubro do ano de fundação, assumiu a Dona Helly Grillo, vinda de Lençois Paulista, a primeira diretora.

O nome oficial veio um ano mais tarde, por meio da Lei 4703, de 22 de abril de 1958, de autoria de Fioravante Zampol. No dia do Descobrimento do Brasil, Ribeirão Pires descobria o nome oficial do colégio que marcou sua história e a de muitos cidadãos: Dr. Felício Laurito.

 

 

 

 

Compartilhe