Cobertura da velha Rodoviária irá “migrar” para o Ayrton Senna

Uma das maiores “novelas” atuais da cidade acaba de ganhar um novo capítulo: a cobertura da velha Rodoviária, onde deve ser instalada a loja de uma grande rede de fast-food, será desmontada e instalada em outro local: o Complexo Ayrton Senna.

Polêmica que não tem fim: estrutura será reinstalada em outro local

Os envelopes da licitação tinham previsão de abertura para o último dia 20, processo esse que iria eleger uma empresa responsável pela realização da obra, prevista para durar cerca de seis meses e que, ao menos para alguns, colocaria um ponto final no uso da estrutura que, desde a inauguração do novo terminal, estava sendo utilizada como estacionamento, área para a feira livre noturna e até mesmo para o tradicional desfile de aniversário da cidade.

Em uma análise fria, a polêmica em relação a utilização do local fica mantida. Lembramos que, há pouco tempo, tanto o Mais Notícias quanto a Voz de Ribeirão Pires defenderam o aproveitamento do espaço como uma área de utilização pública para a população, como uma praça com prestação de serviços ou um local de convivência, por exemplo.

Há dias, munícipes têm contatado a redação do jornal para saber como será feita esta transferência e qual será o local exato de sua instalação, uma vez que, dependendo de como ela for feita, irá descaracterizar totalmente o uso projetado do Complexo, que é promover a arte e a cultura na cidade. Hoje, no local, além do Teatro Muncipal e da Tenda Multiuso, que é usada no Festival do Chocolate e outros eventos, também se localizam as sedes da Secretaria de Educação e Inclusão e a de Juventude, Cultura, Esportes, Lazer e Turismo (SEJEL), além de uma escola municipal, um ginásio de esportes e um autódromo para veículos de rádio-controle. Ou seja: fica aberta a pergunta sobre o porquê da instalação de mais uma cobertura no local, sendo que, na maior parte do ano, lá são realizados eventos ao ar livre.

A Prefeitura, por meio de sua assessoria, não respondeu a nenhum dos nossos questionamentos até o fechamento desta edição, ou seja, se calou e deixou a população com mais esta série de interrogações pendentes e também reclamando de, mais uma vez, não ter sido consultada tanto sobre a destinação do importante espaço quanto sobre o que será feito do material que está nele contido atualmente. Em suma: mais um desserviço ao ribeirãopirense.

De toda forma, estaremos observando o que acontecerá e assim evitar que mais uma área, esta de suma utilidade para a população, também perca a sua característica por conta de uma decisão arbitrária.

Compartilhe