Chips em carros serão instalados a partir de julho

O SINIAV (Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos), criado pelo governo federal para identificar eletronicamente automóveis, caminhões e motos, começará a ser implantado em julho no país. O trabalho caberá aos Detrans de cada estado que terão dois anos para instalar a etiqueta eletrônica na frota nacional, estimada hoje em 70 milhões de unidades. O objetivo é facilitar a fiscalização nas vias e possibilitar a implantação de vários serviços além de organizar o trânsito nas grandes cidades.

Entre os objetivos, está facilitar a fiscalização nas vias

O chip será colado no para-brisa do carro. As estradas e avenidas passarão a ter pórticos com antenas instalados em pontos estratégicos como trevos e junções de pistas. Ao passar por eles, a antena capta as informações que são armazenadas num banco de dados e usadas por diversos órgãos. Ao todo, são 70 milhões de veículos que deverão ter placa eletrônica instalada até junho de 2014.

O Contran afirma que toda a infraestrutura estará pronta até a metade do ano para começar a instalação, que ficará a cargo dos Detrans em cada Estado.

Cada órgão estadual poderá estabelecer seu cronograma de instalação. Serão criados dois bancos de dados distintos para armazenar os dados, um para carros em situação regular e outros para veículos com alguma restrição, a fim de evitar as críticas de que o projeto permitiria a invasão da privacidade dos motoristas.

Maior fiscalização – Carros com multas ou impostos atrasados serão identificados com mais facilidade. O sistema de chip também pode identificar um veículo acima da velocidade máxima num trecho mais extenso. Em vez de medir a velocidade apenas no instante em que automóvel passa pelo sensor, como acontece hoje, no novo sistema é possível cronometrar o tempo que ele levaria entre um pórtico e outro e, caso ele fosse menor que o do limite de velocidade, estaria configurada a infração. Ou seja, não bastaria apenas desacelerar ao ver um radar.

Caso alguém resolva retirar o chip, há um recurso de segurança que invalida o aparelho. Carros que não possuírem a etiqueta receberão multa grave e perda de 5 pontos na carteira. O governo também estuda manter as informações levantadas pelos sensores por alguns dias a fim de ajudar a polícia na localização de carros usados em seqüestros ou fugas.

A situação para os motoristas começará a mudar em abril quando as concessionárias de estradas paulistas passarão a instalar os pórticos, segundo determinação do governo estadual. Ao mesmo tempo, empresas como o Sem Parar e outras a serem habilitadas, substituirão os atuais equipamentos pela nova tag.

Se o governo conseguir avançar com a proposta do SINIAV, em 2014 todos os veículos que circulam no país passarão a ter a “placa eletrônica”.

Compartilhe