Cem dias em busca da quebra de desconfianças

Cem dias. A marca, mais simbólica do que histórica, sempre é utilizada como parâmetro para avaliar o começo de um governo ou até mesmo de um casamento. Usualmente, é uma marca usada para reflexões e, este ano, como em todo começo de gestão, do que foi feito até aqui pelo novo titular do Paço Municipal.

Como não poderia deixar de ser, a gestão Saulo também está sendo alvo destas análises, tanto por parte de seus aliados, que exaltam os feitos, quanto de seus opositores, que ressaltam pontos a serem desenvolvidos, ou falhas dependendo do ponto de vista. Fato é que três meses e dez dias são um período mais do que suficiente para os primeiros passos e os indícios de como serão os 44 meses e 20 dias seguintes.

Para Saulo Benevides, há uma espécie de “fardo” a carregar que, por sua vez, é o “culpado” por várias das críticas que vem recebendo: a promessa de campanha que lhe elegeu, a vitória “sabor de mel” que teve como base o discurso de mudança, de uma quebra de paradigmas em relação ao que vinha sendo feito nos oito anos de gestão Volpi. A questão é que a população não tem lá muita paciência para esperar até que a situação se normalize e, exatamente por isso, por mais que o novo prefeito tenha trabalhado intensamente, captando recursos por meio de emendas e de projetos, além de negociar dívidas, as críticas são inevitáveis.

A desconfiança que atinge parte do eleitorado só será extinta quando de fato as mudanças chegarem ao usuário final, no caso o munícipe. Há obras paradas desde o ano passado, como a UBS do Centro Alto, que precisa de equipamentos e pessoal para entrar em funcionamento, bem como as tão esperadas intervenções viárias para solucionar o problema do trânsito que se agrava a cada dia.

Para isso, contudo, é preciso trabalhar intensamente. Sanar a questão dos débitos tão rápido quanto possível para liberar o poder de investimentos da Prefeitura e trazer as sonhadas melhorias para a cidade e para a população, afinal os problemas urgem, os buracos nas ruas se multiplicam e a Saúde precisa de ações imediatas, para citar alguns exemplos.

 

Para os próximos 100 dias, que se completarão em 19 de julho, a expectativa é de muito trabalho e avanços para a cidade de Ribeirão Pires. O que se espera é que a gestão que entrou com a ideia de “mudar para melhor” não seja mais do mesmo. A população de Ribeirão Pires agradece.

Compartilhe