Capitães da Areia em cartaz em Mauá

Sinopse

Bahia de Todos os Santos, 1937. Um bando de meninos abandonados incomoda a sociedade. São chamados “Capitães da Areia”, porque o cais é o seu quartel general.

Mais uma produção da COMPANHIA TEATRAL CASSIANO FILHO

Pedro Bala, o temido líder dos Capitães da Areia, é caçado como o pior dos bandidos, mas, na verdade não passa de um adolescente livre nas ruas. Ele é o herói de quase uma centena de meninos, que juntos vivem incríveis aventuras: planejam de pequenos furtos a assaltos a ricas mansões, trapaceiam os marujos, olhos comprido sobre os fartos decotes das mulatas. Dormem em um trapiche abandonado e vivem em feiras populares e festas de rua, atrás de comida e divertimento. Às vezes explodem, gritam de raiva, perdem a cabeça, mas resistem bravamente aos piores obstáculos.

Quando uma epidemia de varíola invade a cidade, os Capitães da Areia se deparam com o conflito da morte, têm que tomar decisões de adulto, decisões impossíveis para a cabeça dessas crianças. Enquanto isso, nos bairros populares, a epidemia destrói famílias, fazendo novos órfãos. Dora, de apenas 13 anos, perdeu pai e mãe, e se vê só nas ruas de Salvador. Mas quis o destino que os Capitães da Areia cruzassem o seu caminho.

O bando nunca teve uma figura feminina e a chegada de Dora vem mexer com a vida dos Capitães. Pedro Bala logo se apaixona por ela. Professor, braço direito de Bala, mais tímido e inexperiente, apenas sonha com sua pele macia, com seus seios que despontam, seu jeito de que vai virar mulher a qualquer instante. O triangulo amoroso torna-se inevitável, os três estão mais adolescentes do que nunca, como adolescentes descobrem o amor.

FICHA TÉCNICA

Adaptação                                                   Caio Evangelista

Direção                                                         Cícero Ferreira

Cenógrafo                                                    Wagner Montealegre

Som/luz                                                         Cícero Fereira

Figurinos                                                      Wagner montealegre

Fotografia                                                     Renata Paz

Produção Executiva Cassiano Filho

ELENCO:

Danylo de Oliveira

Danilo Faria

David Casanova

Denner Barbosa

Eliana Rodrigues

Felipe Vieira Galisteo

Gabriel Masan

Giovanna Vianna

Kika Almeida

Rayan Souza

Rodrigo Syerrah

PROPOSTA DA DIREÇÃO

Encenação

Contar Capitães da Areia não é uma tarefa fácil, pois quando resolvemos levar para o palco uma das mais expressivas obras da literatura brasileira tínhamos consciência de que enfrentávamos dois grandes desafios: Como encenar uma obra de literatura, quando na solidão de sua leitura, o leitor elabora suas imagens mergulhando no universo descrito pelo autor? E ainda mais: Como teatralizar palavras que foram escritas para ser lidas colocando no imaginário do leitor sua própria concepção de enredo e ação. E em segundo lugar, como alcançar com um elenco jovem e ainda inexperiente, a profundidade psicológica de personagens tão profundas e bem fundamentadas quanto o imortal Jorge Amado criou?

Procuramos então, mergulhar no universo do autor, nos cenários descritos e principalmente nas sensações que ele nos proporciona. Levando o elenco ao estudo e conhecimento das personagens e da obra, assim como a época e o ambiente geográfico da ação. Então, optamos por uma linguagem de expressão onde em cada etapa da vida das personagens, o ator interpreta aquele momento específico, procurando transmitir imagens e personalidades diversas a um só “Capitão”.

Procuramos ainda, já que o texto é uma obra de cunho social profundo e principalmente, uma denúncia de um flagelo infelizmente ainda bastante atual pelas ruas do Brasil e porque não dizer do mundo, colocar em cena, elementos da cultura popular brasileira, com suas canções, ritmos e folclore.

Somados a este método, embalamos com a emoção das canções melódicas e singelas, procurando assim, atingir a sensibilidade na sua mais autêntica expressão tornando o espetáculo um hino à esperança.

Cícero Ferreira

Diretor.

A COMPANHIA

A Companhia Cassiano Filho Produções Artísticas, nasceu em 1997, da necessidade que se encontrava na sociedade de apresentar espetáculos de qualidade, levando espetáculos adultos em todo estado de São Paulo, já trabalhou com as seguintes peças: TRAIR E COÇAR É SÓ COMEÇAR, AMIGOS PARA SEMPRE COM A ATRIZ TÔNIA CARRERO, SOCORRO MAMÃE FOI EMBORA DE BENEDITO RUY BARBOSA, TOM CAVALCANTE, CAMILA BACKER, COM CACO CIOCLER E GRANDE ELENCO, É! DE MILLOR FERNADES COM A ATRIZ ELIZABETH SAVALLA, SHOW COM A CANTORA SIMONE, ZÉ GERALDO, CHARLIE BROWN JR, BELCHIOR, ARY TOLEDO, E MUITOS OUTROS.

Em 2005 surge a primeira PRODUÇÃO EXECUTIVA A montagem infantil O MACAQUINHO QUE NÃO GOSTA DE BANANA, TEXTO DE ASSIS COIMBRA, sucesso de público e crítica.

Em 2010 nasce a montagem infantil O PALHAÇO IMAGINADOR, texto de RONALDO CIAMBRONI, e direção de PATRÍCIA RINALDI

Em 2011  a montagem teatral CAPITÃES DA AREIA, INSPIRADO na obra de JORGE AMADO, adaptação de CAIO EVANGELISTA e direção de CÍCERO FERREIRA.

A COMPANHIA TEATRAL CASSIANO FILHO PRODUÇÕES ARTÍSTICAS ASSINA A PRODUÇÃO EXECUTIVA DAS UTIMAS PEÇAS CITADA

Atenciosamente

Cassiano Filho

Produtor Cultural

SERVIÇO

CAPITÃES DA AREIA

DA OBRA DE JORGE AMADO

DIA 30 DE MAIO QUARTA-FEIRA ÀS 20:00 HS

TEATRO MUNICIPAL DE MAUÁ

INFORMAÇÕES 4555-0086

INGRESSO R$10,00 (PREÇO ÚNICO

Compartilhe