Candidato a vereador registra compromisso de doar todo salário

Luiz Paulo Bezerra Junior, candidato do PP, teve uma atitude no mínimo inovadora para os padrões políticos. No último dia 10, registrou em cartório que caso seja eleito disponibilizará integralmente seu salário a projetos sociais durante todo o período do seu mandato.

Luiz promete doar o salário de vereador para entidades e projetos sociais.

Luiz tem 41 anos, 17 deles atuando no poder público nas Secretarias de Obras e Finanças, sendo metade deste tempo com captação de recursos do governo federal e iniciativa privada para projetos sociais. Mas não vem daí o seu contato e ligação com o povo.

Seu pai, Alagoano, veio para São Paulo sozinho aos 14 anos de idade, morou na rua por três meses e sentiu na pele o quanto era sofrido não ter a quem recorrer. Esta história contou algumas vezes ao filho e a mãe, para endossar a narrativa, fez questão de levá-lo a alguns lugares e mostrar a triste realidade que algumas pessoas viviam.

Estes valores passados pelos pais, fizeram do ainda jovem Luiz um rapaz trabalhador, com responsabilidade e envolvido com os interesses do povo. “Vi a discrepância da desigualdade social e percebi que às vezes as pessoas precisam de pouco para mudar a vida delas”, explica o candidato do PP.

Hoje, junto a outros 10 homens, é consultor de investimentos autônomo no ramo de construção civil. Este trabalho, além de não tomar todo o tempo do candidato, é o suficiente para tirar o próprio sustento e de seus dois filhos de 19 e 14 anos. Ou seja, o salário de vereador seria mais útil, a seu ver, se encaminhado a projetos sociais. “Não pretendo criar polêmica com essa decisão, se eu fizesse ao contrário estaria indo contra meus princípios, quero mostrar para as pessoas que elas têm saída”, esclarece.

Esta “saída” é uma resposta às inúmeras reclamações que Luiz ouve do povo sobre “não ter em quem votar”, “que todo candidato é ladrão” ou “que o único jeito é votar nulo”. Daí a idéia de documentar que seu interesse na política é simplesmente por ter consciência da realidade de algumas pessoas e acreditar que elas podem ter mecanismos de mudança.

“Não quero dar para as entidades o sustento delas, quero com a ajuda financeira mostrar e permitir que tenham estrutura para andar com as próprias pernas”. Esta afirmação é feita pelo candidato com base no trabalho social que já faz. Membro de um grupo que é praticamente uma corrente do bem, ele e amigos se mobilizam para ajudar quem precisa. “É mais simples do que parece, saímos nas ruas em umas 10 pessoas pedindo alimento e em 1h ou no máximo 2h temos cerca de 200 kg para ajudar alguma instituição que precise”, explica.

A ideia do candidato é fazer o que já faz, só que com mais recursos. A boa intenção, somada a vivência e aos conhecimentos jurídicos que possui, faz com que tudo o que ele diz seja embasado e tenha meios de se tornar real.

Compartilhe