Benefício vs. Prejuízo

Por Gazeta

O que estou relatando aqui não é novidade. Todos os dias em quaisquer instâncias do poder, vê-se decisões tomadas em benefício de uma minoria. Há dias, vimos sendo instados a produzir uma matéria que explique as duas lombadas (fora de padrão, diga-se de passagem) instaladas na Avenida Santo André na altura do número 1185.

Soubemos, por fonte extraoficial, que a empresa instalada no local ampliou suas atividades para um prédio situado do outro lado da avenida e as tais lombadas instaladas para reduzir o risco de acidentes com funcionários que precisam cruzar a via.

Ora, a avenida Santo André é vital para a circulação de coletivos, veículos pesados, ambulâncias, bombeiros, polícia, etc., além de ser acesso à SP-31. A solução me parece equivocada, já que a empresa opera oito horas por dia, cinco dias por semana e as tais lombadas cerceiam o bom andamento do trânsito 24 horas por dia, sete dias por semana.

Existem outras soluções. À exemplo do que foi feito pela CBC (Companhia Brasileira de Cartuchos) na avenida Humberto de Campos. A empresa interessada instalaria, às suas expensas, com o aval da Secretaria de Trânsito e Transporte, um semáforo com botoeira que poderia ser acionada da portaria da empresa, interrompendo o tráfego somente quando necessário.

O funcionário público deve dar prioridade ao bom andamento do setor sob sua responsabilidade, privilegiando a maioria e não tomando decisões em benefício de poucos e prejuízo de muitos.

Compartilhe