Atenção especial no Festival do Chocolate

Um Festival do Chocolate para todos. É isso o que garante o Grupo de Apoio aos Idosos e às Pessoas com Deficiência. Uma equipe 100% prestativa, área coberta e 140 lugares dão o conforto que eles precisam para curtirem o evento.

Equipe de apoio (Patrícia, Andréa, Tatiane e Paula), ao lado do secretário de Políticas Comunitária e Institucional, Doni de Freitas

“O Condef (Conselho Municipal de Direitos dos Deficientes) foi chamado para ajudar a organização no apoio aos visitantes da terceira idade ou que possuem alguma deficiência. Recepcionamos as pessoas com deficiência desde o estacionamento e damos todo o suporte à elas”, conta a presidente do Condef, Paula Cunha. Os portadores de deficiência têm direito a entrar no espaço com um acompanhante.

Paula ressalta que a estrutura oferecida está excelente, mas sempre há algum ponto que pode melhorar. “Um detalhe ou outro deve ser aprimorado. No final do Festival, nos reuniremos com a organização para ver o que pode ser melhorado. Mas estou muito satisfeita. Finalmente entenderam as necessidades que o deficiente tem”.

O público que frequenta o espaço já tem sugestão para o Condef levar à organização do Festival: mais proximidade com o palco. A área montada fica ao final da tenda. Principalmente para os idosos, enxergar os artistas está sendo difícil. “A acomodação está ótima, mas a visão está prejudica, pois estamos muito longe do palco. Se tivesse telão seria melhor”, disse Magali Serrano, 60 anos, que, para amenizar o problema, tem vindo aos shows munida com um binóculo.

“Não consigo enxergar nada. No show da Rita Lee, por exemplo, a impressão que eu tinha era de estar vendo um bonequinho no palco. Deveriam ter feito como no ano passado, que as cadeiras eram em frente ao palco. Como estamos também no final da tenda, se chover de vento vai molhar todo o espaço”, fala Dinorá Rodrigues Oraá, 67 anos.

Idosos e portadores de deficiência tem atenção especial para aproveitarem, com comodidade, o Festival do Chocolate

Para Cesar Santos, 29 anos, portador de deficiência física, além da questão da distância do palco, a área da praça de alimentação, atualmente com paralelepípedos, poderia ser pavimentada. “Do jeito que está é ruim, pois quem usa cadeira de rodas prende a roda nos vãos do paralelepípedo”. Mas ele destaca: “Essa é, indiscutivelmente, a melhor edição do Festival do Chocolate, estruturalmente e em todos os outros aspectos”.

Compartilhe