Amaury é derrotado no Projeto dos Cobradores

A proposta que obriga a empresa de ônibus Rigras a separar a função de motorista e cobrador, garantindo a presença de dois profissionais em cada veículo foi barrada na Câmara. O vereador Amaury Dias (PV), autor da proposta tentou convencer os pares a apoiar o projeto, porém só conseguiu a adesão de Amigão D’Orto (PTC) e Anselmo Martins (PR).

Rigras não terá obrigatoriedade de manter cobradores

Na defesa do projeto, o verde defendeu que o projeto, “além de ser uma manutenção de emprego, vai gera outras vagas”. Segundo o parlamentar, a Rigras garantiu que não ocorrerão novas demissões. “Há a questão da segurança que implica na situação de dirigir e cobrar. É proibido por lei falar ao celular dirigindo. A empresa, quando participou do processo de concessão, tinha ciência da obrigatoriedade dos cobradores. Eles também falam que a tarifa tem que aumentar para adotar os cobradores. Mas quando tiraram os 80 cobradores, diminuíram o valor da tarifa? Colegas indecisos, olhem para a manutenção de emprego que garantimos e vamos pensar em gerar mais 85”, explanou o verde.

Apesar do apelo, o projeto foi rechaçado por 14 votos contrário e apenas 03 favoráveis. (T.Q.)

Compartilhe