Além do Mais…

O pensador

Seja entre o grupo governista ou os de oposição, há um nome que circula sem qualquer restrição: o de Marcelo Menato. Visto como uma das melhores cabeças pensantes da cidade, aqui e ali ele é relembrado por seus atos positivos para Ribeirão Pires, antes mesmo de ser secretário da Gestão Volpi. Como presidente da ACIARP, foi um dos principais nomes da Agenda 21 da cidade que, por sinal, foi a origem de algo hoje celebrado: o Festival do Chocolate.

A festa continua

Ao contrário do que algumas pessoas ligadas ao grupo do candidato governista têm espalhado, não se vê entre os postulantes de oposição nenhuma intenção de se acabar com o Festival do Chocolate. Além do evento ser popular entre os ribeirãopirenses, os candidatos vêem a festa como interessante do ponto de vista turístico. Isso posto, que comecem as especulações sobre a festa do ano que vem, já que a 8ª está perto do fim. Alguma aposta?

Pau que bate em Chico bate em Francisco?

Aqui e ali, os sinais de “paixão incontida” por políticos começam a aparecer. E, como vovó já dizia, quando ela é exagerada, costuma deixar as pessoas meio confusas. Na última semana, tentando defender “seu” candidato, um vereador acabou atacando órgãos de imprensa da região, que estariam dando “notícias ruins” sobre o dito cujo. Sobrou até para rivais que estariam “enchendo a cidade de placas”. Ele só se esqueceu que “seu” candidato foi o primeiro a colocá-las (isso sem falar nos carros adesivados antes mesmo do período eleitoral) e que nas casas, ao contrário dos cavaletes, elas não são removidas às 22h…

Nem Mandrake explica

Na última semana, pipocaram comitês eleitorais por toda a cidade, o que deixou muitas pessoas, que há meses procuram imóveis para locação, com a pulga atrás da orelha. A pergunta é: como apareceram, magicamente, tantas imóveis novos na cidade, se há fila para conseguir casas, pontos comerciais ou até mesmo salas simples, sendo que as que eventualmente ficam vagas custam, literalmente, os olhos da cara?

É ou não é?

O clima de incerteza que ronda a candidatura governista está amarrando os candidatos a vereador da chapa. Publicamente, vários deles reclamam que a indefinição tem atrapalhado suas campanhas e causado grande prejuízo, já que estão “sentados à beira do caminho” esperando para ver se Dedé da Folha terá ou não sua candidatura impugnada. Como a confiança na coordenação de campanha também não anda lá essas coisas, fica tudo parado enquanto o eleitor vaga solto pelas ruas. A concorrência agradece…

Compartilhe