Além do Mais…

Negociando o Dote I

O PSD, partido fundado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, tem servido de guarida para vários políticos que deixam suas siglas por falta de espaço, servindo como uma espécie de catapulta para voltar ao sonhado “mundo dos eleitos”. Isso fez o PSD ser cortejado tanto por governo quanto por oposição, já que conta em seus quadros não só com caras novas, mas também com experientes políticos que, com certeza, somarão muito em uma coligação. Por conta disso, a legenda é considerada “a noiva da vez”.

Negociando o Dote II

Já que uma noiva rica e bonita é sempre disputada, o dote a ser ofertado deve ser condizente com o quanto “se ama” a doce donzela, ainda mais quando ela é de casa nobre e repleta de parentes importantes. Esta semana, o padrinho da dita cuja, o vereador e presidente da Câmara de São Paulo, José Police Neto, reuniu-se com os três principais grupos políticos da cidade que desejam seu apoio: o PT, de Maria Inês, o PMDB, de Saulo Benevides e também o PPS, de Dedé da Folha. O andar da carruagem deixou evidente que a presença de Netinho em Ribeirão Pires foi justamente para negociar o dote. Quem dará mais?

Saúde em “desfoco” I

O tema “Saúde Municipal” parece não ter fim para os constantes ataques e defesas feitos pelas diferentes castas políticas da cidade. Para não ficar muito chato, tem vereador que chega a ser criativo: “Tem alguns médicos sequer foram receber o contracheque”, afirmou Muraki, ao defender que não é falta de pagamento que tem causado a evasão de médicos do Hospital São Lucas e das UBSs e sim alguma outra razão desconhecida.

Saúde em “desfoco” II

Em uma tentativa de tirar a Saúde Pública dos holofotes, o mesmo vereador soltou o alerta durante a sessão da Câmara desta semana, após seu companheiro de bancada, Vicentinho (PR), expor que um hospital da rede particular também sofreria com problemas de superlotação e até erros médicos. Aproveitando a deixa, Muraki disparou: “A imprensa só publica quando o problema é no serviço público”. O edil só esqueceu de um detalhe: em caso de insatisfação com um hospital particular, basta suspender o convênio. No caso do público, dá para suspender o imposto?

E o trabalho, ó…

A cidade ganhou uma nova revista, a Ribeirão Pires Magazine que “chegou chegando”. Além de ser a primeira com preço estampado em capa, ainda distraiu muita gente. Os vereadores que o digam. Enquanto um membro da Casa de Leis fazia, enfático, seu discurso na Tribuna Livre, o entregador começou a distribuir a nova publicação entre os pares. Resultado: os vereadores deixaram de dar atenção para o colega e mergulharam de cabeça nas folheadas curiosas da revista. Será que não dava para esperar ao menos a sessão terminar?

Compartilhe