Além do Mais…

Homem de letras

Quando se diz que uma pessoa é letrada, ou cheia de letras, significa que a pessoa é culta, tem conteúdo, educada. No caso do pré-candidato a prefeito Dedé (PPS) dizer que ele é cheio de letras, é o mesmo que afirmar que o grupo possui várias siglas partidárias. Acontece que o grupo se gaba de ter vários partidos de base, porém, tais siglas estão vazias já que seus integrantes preferem apoiar o outro lado, é o caso do PHS e do PRP e outros estão a caminho.

Menino ou moleque? I

Aquele que pretende ser o prefeito da cidade não pode agir como um moleque mal educado ou um menino. O que esperar de uma pessoa que aproveita um momento de descontração de um desafeto e fica atrás dele dizendo abobrinhas em seu ouvido apenas para provocá-lo? Até as chocolateiras acharam estranha a atitude do vice-prefeito Dedé ao tentar aborrecer uma pessoa que estava presente no evento de lançamento da nova linha de páscoa das chocolateiras.

Menino ou moleque? II

O vice-prefeito Dedé aproximou-se de seu amigo secretário de Desenvolvimento Econômico e repetiu cretinamente: “Você viu? O Saulo está inelegível! Você viu?”. Ao ser ignorado, outra pessoa jogou o seguinte comentário no ar: “Ué, se o Saulo (também) está inelegível, então só sobrou a Maria Inês!”, deixando o pré-candidato do governo parecido com um menino que perdeu o brinquedinho. Quem fala o que quer…

Tinha

Durante a sessão da Câmara desta semana, um fato inusitado chamou a atenção dos presentes. Ao término da sessão, o presidente da Casa, Gerson Constantino (PSD), solidário com a situação do PHS, tomou as dores de seus colegas e atacou Tinha Di Ferreira, presidente estadual do partido. Fazendo alusão ao exótico nome do chefe da legenda, disparou algumas pérolas como: “Ele não ‘Tinha’ que ter tomado uma atitude dessas. Ele ‘Tinha’ que ter mais hombridade, ‘Tinha’ que ter mais caráter”.

Salto Alto

Um publicitário da cidade, por sinal muito competente, ultimamente anda usando salto agulha número 15. O cidadão que resolveu concorrer com seus clientes gráficos e editoriais, o que é aceitável, achou por bem começar a ditar regras e ignorar parcerias de quase 20 anos. Amigo, você não é nenhum Olivetto, e se fosse ainda lhe faltaria uma qualidade: ser corinthiano.

Compartilhe